Tempo de contenção

FCA adia iniciativas de regulação em função do Brexit

Legislação e Regulamentação / Internacional / 20 de abril de 2018
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

A Financial Conduct Authority (FCA), reguladora do mercado financeiro do Reino Unido, anunciou no começo de abril que concentrará seus esforços em assuntos relativos à saída do país da União Europeia. A instituição pretende garantir uma transição tranquila para as companhias reguladas e adaptar seus profissionais e sistemas internos à nova realidade. Por causa disso, iniciativas de regulação serão adiadas.

A estimativa da FCA é de que serão necessários cerca de 30 milhões de libras para a conclusão desse processo relacionado ao Brexit, dos quais 14 milhões de libras virão do corte de verbas de atividades consideradas “não críticas”. O governo garantiu um orçamento de 5 milhões de libras para a FCA e os 11 milhões de libras restantes virão da cobrança de taxas de empresas reguladas.

A FCA não especificou quais projetos serão interrompidos, mas enumerou alguns que continuam a ter prioridade: combate a crimes financeiros (como fraude e lavagem de dinheiro), segurança de dados e melhorias de governança que possam gerar benefícios a consumidores e ao mercado.

 


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Financial Conduct Authority Brexit Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Debêntures no forno
Próxima matéria
Regras que agilizam processos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Debêntures no forno
A redução da presença do BNDES no financiamento a projetos de concessionárias de energia elétrica, rodovias e aeroportos...