SEC apoia o uso de mediação e “passa pito” em investidores institucionais

Comissária diz que eles deveriam buscar alternativas à Justiça e ao regulador na resolução de conflitos com companhias

Legislação e Regulamentação/Internacional / 8 de março de 2019
Por 


SEC apoia o uso de mediação e “passa pito” em investidores institucionais

Ilustração: Rodrigo Auada

A comissária Heaster Peirce, da Securities and Exchange Commission, fez um discurso contundente na última quarta-feira. Ela disse que os investidores institucionais deveriam concentrar seus recursos em questões que ofereçam mais retorno para seus clientes em vez de acessar o regulador e a Justiça para resolver certos problemas — ela se referia ao bem-vindo uso de mediação e arbitragem por companhias. Peirce criticou a posição do Council of Institutional Investors (CII), para o qual as cláusulas de mediação e arbitragem presentes nos estatutos de empresas abertas são uma ameaça aos princípios de governança corporativa.

Peirce chamou a atenção para o fato de ações movidas contra empresas na Justiça raramente serem decididas pelo mérito da questão. É comum que as empresas simplesmente façam um acordo para evitar os altos custos do litígio — e quem acaba pagando o preço dos acordos são os próprios acionistas.

Apesar do discurso duro, a comissária frisou que não estava defendendo a utilização de cláusulas de arbitragem e mediação por todas as companhias. Segundo ela, se os investidores valorizam tanto a possibilidade de promover ações coletivas, deveriam investir apenas em companhias que oferecem essa opção. Peirce afirmou ainda que os investidores institucionais têm capacidade de resolver essas questões sem ter que buscar a intervenção da SEC.


Leia também:

Arbitragem no mercado de capitais 

Quais as vantagens da arbitragem? 

Quando recorrer à arbitragem?


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  SEC arbitragem mediação Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Fundos de venture capital consideram mais que inclusão feminina
Próxima matéria
O peso dos incentivos errados na tragédia de Brumadinho



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Fundos de venture capital consideram mais que inclusão feminina
Suzanne Biegel, fundadora da consultoria de investimentos focados em gênero Catalyst at Large, publicou em seu LinkedIn...