Rating domado

CVM apresenta minuta de instrução para regular agências de classificação de risco de crédito

Bimestral/Legislação e Regulamentação/Edição 101 / 1 de janeiro de 2012
Por 


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública uma proposta de regulação da atividade de classificação de risco de crédito. Atualmente, há sete agências que operam no Brasil: as norte–americanas Moody’s, Fitch e Standard & Poor’s, e as nacionais Austin Rating, LF Rating, SR Rating e Liberum Ratings.

O principal desafio de regular essa atividade é estabelecer regras que levem em consideração o potencial conflito de interesses existente na relação comercial entre agências e emissores. Na condição de contratantes do serviço, e com o objetivo de viabilizar suas colocações de títulos, as empresas avaliadas podem exercer pressão sobre as agências para conseguirem ratings positivos. Para evitar que isso ocorra, a CVM propõe que as agências descrevam os conflitos de interesse potenciais e os procedimentos adotados para minimizá–los. A minuta prevê que haja a obrigatoriedade de segregação completa entre a atividade de classificação de risco de crédito e os demais trabalhos desenvolvidos pela agência.

Além disso, a autarquia quer evitar a prática de ratings shopping, ou seja, quando o emissor, durante o processo de seleção de uma agência, pede a várias delas que façam um relatório preliminar. De acordo com a nova regra, esses materiais, quando solicitados, terão de ser divulgados ao mercado. O objetivo é evitar que as empresas usem a tática para escolher a agência que lhes é mais favorável. “Com a norma, a intenção é que essa prática seja eliminada. Mas só o tempo vai nos dizer se ela será suficiente ou se teremos de criar novos mecanismos”, diz Flavia Mouta, superintendente de desenvolvimento de mercado da CVM.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM audiência pública agências de rating conflito de interesses Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Do proprietário para o inquilino
Próxima matéria
Dono invisível



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Do proprietário para o inquilino
Há algum tempo, uma dúvida vinha martelando a cabeça do mercado na reestruturação societária do grupo de telecomunicações...