Quênia cria plano diretor para mercado de capitais



Importante entreposto comercial e financeiro da África Oriental, o Quênia quer fortalecer seu mercado de capitais. Em novembro, a comissão de valores mobiliários do país, a Capital Markets Authority (CMA), anunciou que vai implementar um plano diretor com esse objetivo, assim como fez o Brasil em 2002. Em vigor pelos próximos cinco anos, a iniciativa vai ao encontro do objetivo do governo de transformar o Quênia num país de médio rendimento até 2030.

A novidade foi bem recebida pelos participantes do mercado. Dentre as iniciativas previstas pelo plano, está a criação de entidades autorreguladoras e a regulamentação pela CMA de novos produtos nos mercados futuro, de derivativos, imobiliário e de fundos. Segundo os participantes do mercado, também é importante que o governo colabore com a iniciativa, criando uma legislação rigorosa que combata a lavagem de dinheiro e o financiamento ao terrorismo. Os investidores consideram que esses problemas impedem um fluxo maior de dinheiro para o Quênia.

Em outubro de 2011, os investidores estrangeiros representaram 65% do valor total negociado em ações na Bolsa de Nairóbi. Principal bolsa de valores da África Oriental, possuía, em novembro, 58 companhias listadas e capitalização de mercado de aproximadamente US$ 9,5 bilhões.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Quênia África Oriental CMA Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Por uma tributação mais coerente
Próxima matéria
Bolsa de Xangai está pronta para atrair estrangeiros



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Por uma tributação mais coerente
Alexandre Póvoa*/ Ilustração: Julia Padula Recentemente, voltaram as especulações em torno da necessidade de mudança...