O cerco fechou

Legislação e Regulamentação/Seletas/Edição 125 / 1 de janeiro de 2014
Por 


O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal deflagraram, no dia 19 de dezembro, a Operação Marambaia. Cerca de 40 policiais e inspetores percorreram quatro cidades para recolher provas que serão usadas nos processos criminal e administrativo contra a RJCP e a Marambaia Energia Renovável. As empresas são investigadas pela CVM e pelo MPF devido à suspeita de que seus administradores cometeram os crimes de manipulação de mercado, insider trading e lavagem de ativos. Reportagem publicada pela capital aberto em dezembro mostrou que o empresário Marcelo Bastos, controlador da RJCP, teria lucrado ao menos R$ 10 milhões vendendo ações a preços falsos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM RJCP CAPITAL ABERTO mercado de capitais fraude Marcelo Bastos Marambaia manipulação de ações Ministério Público Federal Polícia Federal Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Voto repreendido
Próxima matéria
Volume triplicado



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Voto repreendido
Custou R$ 500 mil o voto proferido por João Alves de Queiroz Filho, conhecido como Júnior da Arisco, nas duas assembleias...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}