Eleição de funcionário para board no BB atrai 600 candidatos

Legislação e Regulamentação/Edição 119 / 1 de julho de 2013
Por 


No mês passado, o Banco do Brasil realizou sua primeira eleição para escolha do funcionário que representará os demais colegas no conselho de administração da empresa. A representação é uma obrigação imposta pela Lei 12.353, editada no fim do mandato do presidente Lula, em dezembro de 2010. Ela prevê que os funcionários de empresas controladas pela União possam ocupar um dos assentos do board. A disputa no Banco do Brasil foi acirrada. Mais de 600 trabalhadores se candidataram. Como nenhum deles conquistou a maioria absoluta dos votos na primeira votação, o pleito foi para o segundo turno. Concorrem, agora, Rafael de Matos, que recebeu 5.678 votos na primeira votação, e Ronaldo Zeni, que abocanhou a preferência de 2.776 funcionários.

A participação compulsória de trabalhadores nos conselhos de administração é vista com ressalvas. Há o temor de que a reserva de mercado aumente as situações de conflito de interesses. Para evitar problemas, a lei impede que esse conselheiro participe, por exemplo, das discussões ligadas a remuneração e relacionamento com centrais sindicais. No entanto, a julgar pelas propostas dos candidatos mais bem votados, eles não pretendem se manter longe desses assuntos. Tanto Matos quanto Zeni prometeram lutar por melhores condições de trabalho, o que inclui aumento na participação de lucros e resultados (PLR) dos funcionários. Os dois também são apoiados pelos sindicatos — no caso de Matos, um conjunto de associações sindicais lideradas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) financiou a campanha para que ele pudesse viajar pelo País e conquistar mais votos.

Quem não contou com esse apoio apresentou suas propostas na página criada pelo Banco do Brasil na internet para divulgar informações da eleição. Enquanto uns aproveitaram o espaço para enfatizar qualidades e formação acadêmica, outros preferiram mostrar seu lado filosófico. O site está repleto de propostas, algumas inusitadas. O resultado da eleição será divulgado em 5 de julho.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Banco do Brasil Lei 12.353 Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Gestores gastarão mais para combater lavagem de dinheiro
Próxima matéria
BDRs não patrocinados sairão do mercado de balcão



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Gestores gastarão mais para combater lavagem de dinheiro
A Lei 12.683, conhecida como a nova lei de lavagem de dinheiro, entrou em vigor em 2012, mas só agora, com a edição da Instrução...