Eike Batista é inabilitado para exercício de cargo de administrador

Seletas / Legislação e Regulamentação / Edição 7 / Reportagem
/ 13 de novembro de 2015
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

Em julgamento realizado no dia 10 de novembro, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) inabilitou Eike Batista para o exercício de cargo de administrador de companhia aberta. Se a decisão não for revertida pelo Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, o empresário ficará cinco anos sem poder exercer a função. Esta é a primeira vez que Eike é punido com a inabilitação, apesar de outros cinco processos relacionados ao Grupo X já terem sido julgados — todos terminaram em multas pecuniárias. Há mais dez processos na fila de julgamento, além de investigações em curso.

De acordo com a CVM, Eike infringiu o artigo 115 da Lei das S.As., que trata de abuso do direito de voto e de conflito de interesses, ao aprovar as contas da OGPar (antiga OGX) relativas ao exercício de 2013. A legislação impede o acionista de votar na deliberação sobre as contas da companhia que administra.

Eike era presidente do conselho de administração da OGX e também o controlador da empresa. A seu favor, a defesa do empresário argumentou que o controle era indireto e exercido por meio de veículos de investimentos — os fundos Centennial Asset Mining Fund e Centennial Asset Brazilian Equity Fund que, juntos, detinham pouco mais de 50% do capital da companhia. Para a CVM, a estrutura em camadas não descaracteriza o impedimento de voto, uma vez que Eike era o único cotista dos fundos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM OGX EIKE BATISTA julgamento inabilitação OGPar Grupo X Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Processos de OPA tornam-se mais demorados
Próxima matéria
Receita prepara normativo sobre tributação de stock options



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Processos de OPA tornam-se mais demorados
Em 2011, o prazo médio para a concretização de uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) era de 120 dias....