Investimentos do setor imobiliário ganham impulso duplo

Legislação e Regulamentação/Temas/Edição 106 / 1 de junho de 2012
Por 


A poupança tem sido o principal veículo de financiamento da construção civil. Entretanto, as previsões são de que ela não será mais suficiente para sustentar o ritmo de crescimento do setor imobiliário no País. A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) arrisca que, em 2013, essa fonte estará exaurida. Agora, com a redução da rentabilidade da poupança, a tendência é que essa insuficiência seja atingida ainda mais depressa. Isso porque a medida do governo incentiva os cidadãos a buscarem outros investimentos, drenando os recursos atualmente alocados no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). A lei determina que 70% do montante aplicado em poupança seja direcionado ao sistema.

Diante disso, os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) podem crescer como nunca. Para começar, eles tendem a se tornar a fonte de recursos dos financiadores da construção imobiliária. Em segundo lugar, podem atrair os investidores insatisfeitos com os rendimentos de papéis públicos. “Eles vão procurar outros ativos que tenham rentabilidade diferenciada e sejam seguros”, salienta Moisés Jardim, diretor administrativo da Companhia Hipotecária Brasileira (CHB).

Por enquanto, as emissões de CRIs mantêm-se em linha com o ano passado. No dia 21 de maio, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) analisava sete ofertas de CRIs, que somavam R$ 237 milhões em volume. Outras 17 ofertas haviam sido registradas até então, com um volume de R$ 1,2 bilhão. Em 2011, de janeiro a maio, 18 emissões foram computadas, totalizando cerca de R$ 1,75 bilhão. Na mesma data, o volume de ofertas em análise de cotas de FIIs alcançava R$ 1,289 bilhão, e as emissões realizadas no ano somavam R$ 3,762 bilhões. Nessa modalidade, o crescimento é de 97%.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  poupança setor imobiliário Abecip Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Pendenga jurídica
Próxima matéria
Luz demais?



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Pendenga jurídica
O livro O Futuro do Direito Comercial seria apenas mais uma entre tantos outros de autoria de Fábio Ulhoa Coelho, advogado...