Instituto leva ideias de guru indiano para escolas

Bimestral/Governança Corporativa/Temas/Edição 104 / 1 de abril de 2012
Por 


O dia a dia do advogado do mercado imobiliário Rodrigo Bicalho é composto, basicamente, de assuntos relacionados a construção, legislação e contratos. Mas ele separa uma parte de suas manhãs para resolver questões ligadas ao Instituto Sri Sathya Sai de Educação do Brasil, do qual é presidente. A organização, sem fins lucrativos, é voltada para o ensino de crianças e se inspira nas ideias do guru indiano Sri Sathya Sai Baba. O projeto é mantido à base de doações e trabalho voluntariado.

Segundo Bicalho, Sai Baba ensina que “a educação não deve ser só formal; é preciso levar em conta a construção de caráter, o autoconhecimento e a auto–estima”. Seu trabalho no instituto, resume o advogado, envolve educação e espiritualidade. “Eu digo espiritualidade não como religião ou crença”, conta ele. “Quero dizer paz interior, ação correta, amor, não–violência.”

O instituto mantém cinco escolas para crianças carentes, localizadas em Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Jaboatão dos Guararapes (PE), Brumadinho (MG) e Aparecida de Goiânia (GO). Elas adotam integralmente o Programa Sathya Sai de Educação em Valores Humanos, que tem, entre seus objetivos, fortalecer os laços dos jovens com a comunidade e suas famílias. No total, 415 estudantes são atendidos.

Bicalho conheceu as ideias de Sai Baba através de seu irmão, também advogado, há cerca de oito anos. Levou algum tempo para se tornar um membro ativo da organização mas, ao aprofundar–se nos estudos, foi atraído pelo caráter ecumênico dos princípios pregados pelo guru. Assim, atuou como diretor jurídico do instituto por quatro anos e, no ano passado, tornou–se presidente, com mandato de dois anos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie

Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Pedido de interrupção da convocação de AGE da BM&FBovespa é negado
Próxima matéria
Mais governança, mais crescimento econômico



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Pedido de interrupção da convocação de AGE da BM&FBovespa é negado
A TOV Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Ltda. e o Sr. Fernando Francisco Brochado Heller formularam pedido...