IBGC reconhece lado positivo da poison pill

Bimestral / Governança Corporativa / Temas / Edição 75 / 1 de novembro de 2009
Por 


Num momento em que as polêmicas poison pills são colocadas em xeque — a revisão das regras do Novo Mercado prevê a sua proibição —, a segunda carta diretriz do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) lança um contrapeso ao entendimento dos críticos de que tais mecanismos de defesa à tomada de controle são sempre nocivos ao mercado.

O documento, lançado em 22 de outubro, reconhece que a poison pill pode trazer benefícios aos acionistas. Ao impor uma mesma oferta a todos com preço determinado, a cláusula elimina o prêmio de controle e protege a companhia de uma oferta hostil aproveitadora em momentos de cotações baixas ou de uma oferta coercitiva com termos abusivos.
O caso da empresa de telecomunicações GVT demonstrou uma poison pill que funcionou para o bem enquanto durou. Diante de duas ofertas de compra consideradas interessantes — a da francesa Vivendi e a da Telefônica —, os administradores convocaram uma assembleia para o dia 3 de novembro com o intuito de votar a remoção da pílula. “A poison pill protegeu a empresa de ter seu controle adquirido em bolsa por um aventureiro qualquer”, comenta Ana Carolina de Salles Freire, sócia de Tozzini Freire. Em 30 de setembro, o free float da GVT era de 69,97% e seu maior acionista detinha 15,05% dos papéis.

O IBGC recomenda cautela na dosagem do veneno. O estabelecimento, a priori, de preços sem relação com os fundamentos da companhia e a inserção de cláusulas pétreas são condenados pela entidade. Segundo o instituto, o ponto de equilíbrio parece residir no valor econômico das ações e na reversibilidade de qualquer mecanismo quando os acionistas entenderem ser vantajoso para a companhia.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Governança Corporativa Poison pills Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Dinheiro sem sangue
Próxima matéria
Planilha da Positivo descomplica balanço




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Dinheiro sem sangue
Os fundos de investimento dos Estados Unidos vêm se deparando com uma prática tão inusitada quanto crescente: o ativismo...