Hedge funds brasileiros são destaque em relatório internacional

Bimestral/Legislação e Regulamentação/Temas/Edição 82 / 1 de junho de 2010
Por 


Durante a crise financeira, os hedge funds dedicados a ativos brasileiros tiveram o melhor desempenho dentre os que investem em mercados emergentes. É o que revela uma pesquisa publicada em maio pelo site HedgeFund.Net, que monitora a performance dessa indústria. De acordo com o levantamento, o HFN Brazil Index, composto de 79 veículos que aplicam no País, valorizou-se 17,24% de janeiro de 2008 a março de 2010. No mesmo período, o índice Bovespa subiu 5,70%, enquanto os hedge funds da China, da Rússia e da Índia entregaram retornos negativos de 9,62%, 29,07% e 28,97%, respectivamente.

“Os fundos que investem no Brasil aparentam ter produzido fluxos de retorno mais estáveis antes da crise e caíram menos no seu auge. Do outro lado do espectro, a volatilidade foi a regra para os hedge funds voltados à Rússia”, descreve o relatório assinado por Peter Laurelli, analista e vice-presidente do HedgeFund.Net. Para Demosthenes Pinho Neto, vice-presidente da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), uma das explicações para o bom resultado dos hedge funds brasileiros é o fato de serem menos alavancados que os estrangeiros. “Em 2009, os fundos lá de fora também tiveram de fazer um desmonte de posições muito grande, o que não aconteceu por aqui”, diz Neto.

Desde 2001, o HFN Brazil Index acumula ganhos de 445%, superando em mais de cem pontos percentuais a valorização do índice Bovespa, e em mais de 300 o benchmark do HedgeFund.Net. De janeiro a abril deste ano, porém, o índice dos hedge funds brasileiros ficou negativo em 0,36%, um reflexo da piora do ambiente externo. Por isso Laurelli recomenda que os investidores da região perguntem aos seus gestores quais medidas foram tomadas para minimizar impactos de quaisquer eventos futuros similares.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Fundos hedge Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Regra sobre infrações graves vai facilitar a vida do investidor
Próxima matéria
CVM conclui estudo sobre regulação de agências de rating



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Regra sobre infrações graves vai facilitar a vida do investidor
O regulador do mercado de capitais pode ser mais lembrado por sua função disciplinadora, mas também é seu dever educar...