Sem papas na língua

1º/11/2014

Governança Corporativa / N@ Web / 31 de outubro de 2014
Por 


O antigo diretor-presidente da Microsoft, Steve Ballmer, deixou a companhia com fama de teimoso e irritadiço. O comportamento um tanto explosivo sempre teve seu charme: os gestos duros, as frases incisivas e o rosto vermelho de tanta exaltação chegaram a virar meme na época em que era chefe. Hoje, ele é um dos maiores investidores individuais da Microsoft e não tem mais um cargo importante para segurar a língua. Essa postura ficou evidente em sua entrevista para o talk show de Charlie Rose. Cerca de 10 mil pessoas assistiram no YouTube à parte em que ele enche a boca para falar mal da Amazon: “Eles não ganham dinheiro nenhum, Charlie. No meu mundo, um negócio não é de verdade até que ganhe dinheiro.” Em outubro, a empresa de comércio eletrônico teve prejuízo de US$ 170 milhões.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Microsoft YouTube Amazon Steve Ballmer Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Entre CVM e Conselhinho, maioria dos processos demora mais de cinco anos para acabar
Próxima matéria
Proporção de mulheres em conselhos é recorde nos EUA



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Entre CVM e Conselhinho, maioria dos processos demora mais de cinco anos para acabar
Em 2013 e nos primeiros dez meses de 2014, 45 processos com origem na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foram julgados...