Ninguém sabe, ninguém viu

Governança Corporativa / N@ Web / Edição 128 / 1 de abril de 2014
Por 


A imagem da Petrobras já não estava boa, quando o escândalo da refinaria de Pasadena veio piorar a situação. O negócio custou US$ 1,2 bilhão à petroleira e vem sendo investigado por suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas. No Twitter e no Facebook, investidores deliravam com a volatilidade dos papéis e buscavam ações para alugar. Outros, raivosos, culpavam a presidente Dilma Rousseff, então comandante do conselho da Petrobras, pelo episódio. “O que aconteceria a um funcionário de qualquer empresa privada se ele candidamente assumisse que deu um prejuízo de mais de US$ 1 bilhão?”, tuitou um investidor.

Link: twitter.com

Ilustração: Beto Nejme/Grau180.com


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Petrobras conselho de administração Twitter CAPITAL ABERTO mercado de capitais Pasadena Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Os FIPs deveriam poder investir em empresas que não são sociedade anônima?
Próxima matéria
Mordida generosa




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Os FIPs deveriam poder investir em empresas que não são sociedade anônima?
SIM NÃOO FIP tem poder de negociação e, portanto, prescinde da estrutura protetiva da Lei das S.As. A...