Investidor poderá rejeitar board só de homens

Governança Corporativa/Internacional/Edição 142 / 1 de junho de 2015
Por 


investidor-poderaAs gestoras de recursos Aviva Investors, Old Mutual Global Investors, Legal & General Investment Management e Hermes Equity Ownership Services estão inclinadas a rejeitar as propostas da administração de companhias do índice londrino FTSE 250 que só tenham homens no board, noticiou o Financial Times. Segundo a Escola de Administração da Universidade de Cranfield, no Reino Unido, 23 empresas do FTSE 250 possuem apenas conselheiros do sexo masculino, entre elas a boutique de sapatos Jimmy Choo e a varejista JD Sports.

De acordo com Paul Emerton, chefe de gestão e governança da Old Mutual, é decepcionante que 10% das empresas do FTSE 250 não estejam sequer próximas do nível ótimo de diversidade, tendo em vista os aprendizados que a crise financeira trouxe a esse respeito. “Se os membros do conselho são todos de meia-idade, do sexo masculino e integram certa camada da população, vamos pensar duas vezes antes de apoiar a administração na assembleia. Estamos muito ansiosos para ver mais mulheres nos conselhos”, contou Emerton, ao Financial Times.

A Aviva Investors também afirmou que deve rejeitar os relatórios e as contas das companhias cujo conselho não apresente diversidade de gênero e não tenha uma explicação para isso.

Ilustração: Rodrigo Auada


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  conselho de administração CAPITAL ABERTO mercado de capitais diversidade Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Reino Unido terá primeira listagem de firma de advocacia
Próxima matéria
Igreja católica apoia fundo de impacto brasileiro



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Reino Unido terá primeira listagem de firma de advocacia
A firma de direito comercial Gateley, do Reino Unido, vai fazer uma oferta pública inicial de ações (IPO) neste ano, tornando-se...