ICGN traz novos princípios de governança corporativa

Governança Corporativa / Internacional / Edição 131 / 1 de julho de 2014
Por 


O encontro anual da International Corporate Governance Network (IGCN) reuniu, entre 16 e 18 de junho em Amsterdã, investidores, executivos de companhias, consultores e acadêmicos. Na ocasião, investidores institucionais com, ao todo, US$ 18 trilhões de ativos sob gestão aprovaram os novos princípios da organização.

A principal mudança diz respeito às responsabilidades de empresas e investidores quando o assunto é governança. Em seu código, de 2009, o ICGN cobrava muito mais das corporações do que dos acionistas os aperfeiçoamentos nessa seara. Agora, prega que esse dever seja compartilhado e que acionistas e empresas dialoguem mais ativamente. Além disso, recomenda às companhias a promoção da diversidade, a transparência sobre atividades políticas e a adoção de uma cultura de prevenção a riscos.

Ilustração: Beto Nejme/Grau180.com


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Governança Corporativa CAPITAL ABERTO mercado de capitais diversidade companhia investidor institucional controle de riscos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
CEO da Blackrock critica ETFs alavancados
Próxima matéria
Índia anuncia reforma do mercado de capitais




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
CEO da Blackrock critica ETFs alavancados
Não autorizados no Brasil, mas muito comuns na Europa, os fundos de índice alavancados vêm dando o que falar. Ao contrário...