Icahn quer financiar ativistas para melhorar a governança

Governança Corporativa/Internacional/Edição 129 / 1 de maio de 2014
Por 


Enquanto alguns querem refrear o ativismo, outros tentam estimulá-lo. É o caso do investidor Carl Icahn. No seminário Active-Passive Investors Summit, que aconteceu em Nova York em 22 de abril, ele afirmou que ainda não sabe quanto dinheiro dará a outros potenciais investidores ativistas. Avaliou, entretanto, que a soma será pequena frente ao recorde de recursos que circula pelo mercado e a quantidade de ações estocadas pelas companhias.

Em uma entrevista para a rede CNBC no mesmo dia, Icahn afirmou estar prestando atenção em jovens talentos, entre os quais escolheria alguns para receber um seed capital e agir como ativistas. A ideia é que eles usem esse dinheiro para travar disputas em assembleias e fazer lobby para aprimorar a governança corporativa dos conselhos de administração. “Vou incentivá-los e ver como se saem”, disse. “O ativismo é muito importante neste país.”




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Estados Unidos CAPITAL ABERTO mercado de capitais Carl Icahn ativismo minoritário Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Renda fixa ligada a causas sustentáveis ganha espaço
Próxima matéria
A “tirania dos minoritários”



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Renda fixa ligada a causas sustentáveis ganha espaço
A sustentabilidade e a responsabilidade socioambiental já têm seus adoradores entre os aplicadores de ações há um bom tempo....