A vitória de Tanure em dois conselhos

Governança Corporativa / Adiante / Edição 128 / 1 de abril de 2014
Por 


Os acionistas da petroleira HRT elegeram, em assembleia realizada no dia 19 de março, a chapa única que concorria ao conselho de administração. Liderados pelo ex-ministro Hélio Costa, novo presidente do órgão, os sete nomes foram indicados pela administração e pelo empresário Nelson Tanure, maior investidor da companhia atualmente, com participação de 19,25% no capital. Como era esperado, o fundo americano Discovery não brigou para ter representantes no board — uma postura bem diferente da assumida em 2013, quando conseguiu eleger três conselheiros independentes. Até bem pouco tempo atrás, Tanure e o fundo americano trocavam farpas. O empresário acusava o Discovery de ter ampliado a participação na companhia sem cumprir a obrigação de oferta pública prevista em cláusula de poison pill.

As vagas do conselho fiscal, no entanto, foram alvo de disputa. Um grupo de minoritários se articulou para tentar eleger pelo menos um membro, mas a iniciativa foi frustrada. Acionistas detentores de aproximadamente 1% dos votos haviam indicado o arquiteto Renzo Bernardi para uma das vagas, com o economista Edson Lopes Correa como suplente. Em outra frente, candidatou-se o advogado Celso Tanus Atem, sobre o qual pesa condenação da CVM por fraude contra o fundo FITVM Librium, da Fundação de Assistência e Previdência Social do BNDES (ele recorre contra a punição na Justiça).

O clima de beligerância entre os minoritários e Tanure dominou a reunião. O empresário repudiou a candidatura de Bernardi em razão de declarações feitas por ele, em tom jocoso, de que os acionistas dariam um “rolezinho” na assembleia da HRT — coisa que Tanure interpretou como um convite à desordem. Bernardi, de seu lado, alega que houve tentativa de boicotar sua candidatura, a começar pela demora da administração em divulgar o seu nome. Ele afirma ter apresentado a documentação à empresa e à CVM no dia 7 de março, mas a publicação do aviso aos acionistas ocorreu somente no dia 14. Atem, por outro lado, encaminhou sua candidatura no dia 17, e esta foi informada aos acionistas no dia seguinte. Acabaram eleitos para o conselho fiscal três candidatos indicados por Tanure.

Ilustração: Eric Peleias


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  conselho de administração Conselho fiscal CAPITAL ABERTO mercado de capitais Minoritários HRT Nelson Tanure Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Rumo errado
Próxima matéria
Caso RJCP: sem balanço fica mais difícil




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Rumo errado
Desde 2009, a concessionária de ferrovias ALL e a Rumo Logística, subsidiária do grupo de energia e infraestrutura Cosan,...