Virada no mercado imobiliário afeta fundos

O aumento da quantidade de imóveis comerciais vagos em grandes cidades começa a preocupar os investidores de fundos imobiliários (FIIs). Um levantamento da consultoria Cushman & Wakefield indica que a taxa de vacância de imóveis corporativos de alto padrão na capital paulista chegou a 17,2% no fim …



O aumento da quantidade de imóveis comerciais vagos em grandes cidades começa a preocupar os investidores de fundos imobiliários (FIIs). Um levantamento da consultoria Cushman & Wakefield indica que a taxa de vacância de imóveis corporativos de alto padrão na capital paulista chegou a 17,2% no fim de 2013. O preço médio do aluguel, por sua vez, recuou 14,5% no ano. De acordo com dados da consultoria imobiliária Nai Dworking, a taxa de desocupação está nos patamares mais elevados desde 2005. “O cenário para os próximos dois anos é pessimista”, afirma José Diniz, diretor de FIIs da Rio Bravo Investimentos.

A partir do segundo semestre de 2013, alguns empreendimentos pertencentes a fundos imobiliários foram entregues. Os gestores, agora, correm atrás de inquilinos para ocupá-los. O fundo CEO Cyrela Commercial Properties, do BTG Pactual, por exemplo, ainda não conseguiu alugar nenhum dos sete andares que possui na torre South do edifício Corporate Executive Offices, no bairro carioca da Barra da Tijuca — o empreendimento foi entregue em agosto de 2013. Já o fundo Vila Olímpia Corporate, da RB Capital, que detém seis andares do edifício homônimo, localizado na zona sul de São Paulo, locou apenas um dos pavimentos desde que o prédio recebeu o habite-se, também em agosto. E o BC Fund, também do BTG Pactual, o maior fundo imobiliário do País, divulgou em janeiro que dois inquilinos não renovarão seus contratos de aluguel; com isso, oito pavimentos do edifício Eldorado Business Tower, em São Paulo, vão ficar vagos, o que corresponde a 9,2% da receita de locação do fundo.

Fatores desse tipo ajudaram a empurrar para baixo o valor das cotas dos FIIs negociados na BM&FBovespa. Em 2013, o Ifix (índice que mede o desempenho médio dos fundos imobiliários) recuou quase 24%. Do fim do ano até 19 de fevereiro, a queda já acumulava 9%.

Ilustração: Eric Peleias


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Quero me cadastrar!

Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui > 2

teste

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  bmfbovespa CAPITAL ABERTO mercado de capitais Rio Bravo FII BTG Pactual IFIX vacância aluguel preço BC Fund imóveis comerciais Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A solução para as notas (in)explicativas já existe!
Próxima matéria
Racionamento de salários



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.

Leia também
A solução para as notas (in)explicativas já existe!
Não só no Brasil, mas em quase todo o mundo, fala-se do excesso de notas explicativas, principalmente nos países que passaram...