Submarino traz referência de preço para o setor

Bimestral / Gestão de Recursos / Edição 19 / 1 de março de 2005
Por 


Depois da bolha da internet e da ressaca das empresas de tecnologia na bolsa de valores, a varejista de comércio eletrônico Submarino registrou pedido de oferta publica inicial de ações na CVM. A notícia foi bem recebida pelos investidores, apesar dos maus momentos vividos pelo setor no final da década de 90.

Eles vêem uma série de pontos positivos na listagem da pontocom. Além de ampliar o leque de setores disponíveis para investimento em bolsa, as ações do Submarino servirão como referência para avaliação das cotações dos papéis de companhias já listadas – como Lojas Americanas (que possui a Americanas.com) e Ideiasnet –, afirma Rodrigo Magela, gestor da Arx Capital.

Outra boa notícia, observa Tânia Sztamfater, analista de varejo do Unibanco, é que o Submarino chega com um histórico maior de dados para análise do que as empresas que se aventuraram nas bolsas americanas há alguns anos. “Os players de internet que estão no mercado hoje podem ser considerados vencedores por sobreviverem ao estouro da bolha e ainda crescerem”, opina.

Denílson Duarte, gestor do Banco Máxima, ressalva, contudo, que os investidores ainda podem receber a oferta do Submarino com um pé atrás. “É possível que o mercado adote uma postura conservadora por conta dos acontecimentos passados e atribua aos papéis um preço menor do que a companhia está esperando”, completa.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Valuation Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em terra de gigantes
Próxima matéria
Crédito reflete retomada do mercado de capitais



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Em terra de gigantes
    O ano de 2005 começou quebrando um mito. Para surpresa dos mais céticos, a estréia das aberturas de capital...