Guilherme Benchimol

Mais transparência levará à honestidade

Gestão de Recursos/Governança Corporativa/Reportagens/Edição 121 / 1 de setembro de 2013
Por  e


A XP Investimentos foi aberta em 2003, com foco na educação de investidores. Em dez anos, tornou-se a mais bem-sucedida corretora independente do Brasil. Em 2012, faturou R$ 350 milhões, enquanto boa parte das concorrentes amargava prejuízos. Seu fundador, o economista Guilherme Benchimol, acredita que a transparência irá impulsionar não só o mercado de ações, mas também a sociedade. “Vejo o mundo caminhando para a honestidade, porque a transparência leva a essa direção”, afirma.

O lugar dos bancos
“Nossa premissa básica é a de que manteremos a austeridade fiscal e os juros baixos. Nesse cenário, caminharemos para um modelo que já deu certo em outros países: o banco comercial vai se consolidar como o lugar onde as pessoas compram serviços bancários e contratam crédito, e os investidores migrarão para uma rede independente de distribuição. Não vejo, no futuro, ninguém comprando títulos de capitalização ou fundos de investimento mal geridos e com taxas de administração tão caras. O dinheiro que hoje está nos bancos migrará para os independentes.”

O lugar das corretoras
“A tendência é que as corretoras se transformem em distribuidoras de investimentos e deixem de ser um negócio focado em ações. Essa diversificação trará sustentabilidade ao negócio. Hoje temos cerca de 80 corretoras. Mas esse mercado certamente será maior porque, em uma década, poderemos ter 10 milhões ou 15 milhões de investidores negociando ações. A rede de independentes precisará das corretoras para distribuir seus produtos. E então essa indústria, que está praticamente quebrada, se tornará saudável.”

Internet
“A transparência leva à exigência, que por sua vez nos conduzirá à eficiência. A internet é uma força cada vez mais possante. Atualmente, a nossa capacidade de saber como estão as contas públicas é maior porque existe a internet. Compete a cada um analisar — e isso as novas gerações farão cada vez mais rápido.”

Gestão pública
“As pessoas estão nas ruas porque querem solucionar questões que ninguém resolveu até agora. E isso se chama gestão pública. Quando ficamos sabendo que um governante usa uma aeronave do Estado de forma irresponsável, o povo logo pensa: imagina como está o resto? Agora, pense nesse nível de cobrança daqui a dez anos. O povo não vai aceitar mais determinadas coisas.”

Populismo
“A atividade política vai se profissionalizar cada vez mais por causa do nível de transparência. As pessoas não aceitarão ser enganadas. O po-pulismo, que é esse hábito de prometer para ganhar votos e não cumprir, vai acabar. Teremos uma gestão pública profissional, feita por pessoas capazes de governar com competência, guiadas por indicadores de eficiência.”

Envolvimento com política
“Não tenho aspirações políticas, mas também não sei o que vai acontecer amanhã. Não posso dizer ‘nunca’ para uma carreira política. Propostas como a do Partido Novo — sigla apolítica formada por empreendedores que não aceita a entrada de políticos — me atrai. Governar um país, obviamente, tem muita complexidade, mas é como dirigir uma empresa. Na companhia, a prioridade é gerar lucro de forma sustentável; na política, manter as contas públicas estabilizadas, fazer investimentos, definir prioridades e executá-las com a ajuda de pessoas competentes. São processos parecidos.”


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Política Transparência Corretora banco comercial Guilherme Benchimol XP Investimentos honestidade juros baixos gestão pública Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Jean Marc Etlin
Próxima matéria
Paulo Aragão



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Jean Marc Etlin
Com sua fala rápida e objetiva, Jean Marc Etlin, CEO do Itaú BBA, afirma que o futuro do mercado de capitais depende,...