Gestora de recursos pressiona Iosco sobre risco climático

Asset britânica critica falta de uniformização de regras sobre o tema

Gestão de Recursos/Internacional / 24 de agosto de 2018
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Em relatório lançado na semana passada, a gestora de recursos britânica LGIM, que tem cerca de 980 bilhões de libras sob gestão, pressiona a International Organization of Securities Commissions (Iosco) a exigir transparência das companhias globais sobre riscos climáticos. De acordo com asset, a falta de convergência entre os reguladores internacionais em torno do tema é prejudicial para os investidores globais, pois dificulta a comparação de riscos e a alocação de capital.

A LGIM espera que a Iosco se posicione mais fortemente sobre a necessidade de transparência em relação aos riscos climáticos e crie um padrão internacional de divulgação dessas informações. Isso estimularia os vários xerifes de mercado do mundo a adotar regras semelhantes em suas jurisdições.

Em junho de 2017, uma força-tarefa do Conselho de Estabilidade Financeira, órgão global ligado ao G-20, publicou uma série de recomendações sobre como as empresas devem agregar informações a respeito de riscos relacionados a mudanças climáticas em suas demonstrações financeiras. Mas a LGIM pontua que a Iosco não tomou nenhuma atitude desde então.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  asset managers gestora de recursos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Sobrou para os emergentes
Próxima matéria
Carlos Rebello é indicado para diretoria da CVM



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Sobrou para os emergentes
Não satisfeito em causar volatilidade na economia americana com suas postagens no Twitter, Donald Trump volta agora...
estudo_aplicado_02-07

Promoção de aniversário

ASSINE O PLANO COMPLETO POR R$4,99 NOS TRÊS PRIMEIROS MESES!

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}