Falta de ativos para colateral preocupa clearings

Gestão de Recursos/Internacional/Edição 114 / 1 de fevereiro de 2013
Por 


Um grupo de câmaras de compensação e liquidação criou a Liquidity Alliance, associação que pretende encontrar soluções para a escassez de colateral — colchão financeiro que permite às câmaras de compensação garantir o pagamento das negociações realizadas em suas plataformas. As integrantes são a brasileira Cetip, a alemã Clearstream, a espanhola Iberclear, a australiana ASX e a sul-africana Strate. O grupo fará reuniões trimestrais e investirá recursos em pesquisas sobre o tema.

De acordo com a Liquidity Aliance, o que motivou sua criação foi a falta de ativos disponíveis para a formação de colateral. O problema teria se agravado após a crise econômica mundial de 2008. A turbulência levou os Estados Unidos a exigirem que derivativos de balcão passem a ser colateralizados. Os acordos de Basileia, que trazem elevadas exigências de reservas de capital para os bancos, também colaboram para retirar ativos financeiros de circulação e diminuir a disponibilidade de recursos para a formação de garantias para as câmaras de compensação. Uma estimativa do Fundo Monetário Internacional (FMI), noticiada em abril do ano passado, apontou que, até 2016, a oferta de recursos destinados aos colaterais encolherá US$ 9 trilhões.

Outra preocupação é a qualidade dos ativos usados para esse fim. Títulos soberanos com classificação AA se tornaram raros após a crise da dívida dos países europeus e o rebaixamento do rating de países desenvolvidos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  clearings Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Bancos estão desanimados com Jobs Act
Próxima matéria
Índia propõe rating de governança para as empresas



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Leia também
Bancos estão desanimados com Jobs Act
Menos de um terço dos bancos de investimento acreditaque as mudanças de regulamentação promovidas pelo Jobs Act, no ano passado,...