EUA encorajam fundações a investirem em companhias responsáveis

Gestão de Recursos / Edição 5 / Seletas / Internacional / 16 de dezembro de 2015
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

Depois de sete anos, o Ministério do Trabalho dos Estados Unidos publicou um novo entendimento sobre o investimento por fundos de pensão em ativos de empresas com boa governança e reponsabilidade social e ambiental (ESG, na sigla em inglês). A mudança permitirá que os investidores institucionais incluam essas companhias em seus portfólios sem medo de estarem descumprindo regras do regulador.

Em 2008, o governo americano publicou normas nas quais dizia que a decisão de investir em um ativo por fatores não-econômicos deveria ser “rara” e devidamente documentada. Esse entendimento desencorajou o uso pelas fundações de critérios ESG para investimento. Agora, com a modificação das regras, os fundos de pensão terão liberdade para comprar ativos com base nos princípios de governança e reponsabilidade social e ambiental, desde que a aplicação esteja de acordo com os objetivos de longo prazo do investidor.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  EUA Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A auditoria do futuro está a caminho
Próxima matéria
Coaf bate recorde de envio de informações à PF sobre ilícitos




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
A auditoria do futuro está a caminho
Conheça o ponto de vista da Deloitte sobre a Auditoria do Futuro neste link.Dois estímulos têm influenciado o trabalho...