CVM facilita voto de pessoas jurídicas em assembleias

15/12/2014

Gestão de Recursos / Seletas / 15 de dezembro de 2014
Por 


rocksFundos de investimento, empresas e fundações poderão participar de assembleias desde que enviem representantes devidamente autorizados a exercer a tarefa. Na prática, a medida promete facilitar o exercício de voto de todos os acionistas pessoa jurídica, dispensando-os da representação por meio de advogados. A decisão foi tomada pelo colegiado da CVM, no último dia 4 de novembro, após receber uma reclamação da Modal Asset Management. A gestora foi impedida de participar da assembleia da Brookfield Incorporações, realizada em abril, porque enviou um funcionário para representá-la.

A celeuma tem como origem o artigo 126 da Lei das S.As., que trata da representação em assembleias. Um dos trechos do dispositivo prevê que o acionista pode ser representado por procurador que seja “acionista, administrador da companhia ou advogado”. Como o representante da Modal não se encaixava em nenhuma das definições, a Brookfield rejeitou sua participação. A decisão da companhia foi posteriormente corroborada pela Procuradoria Federal Especializada da CVM e também pela área técnica do regulador.

O caso, então, foi parar no colegiado da autarquia e sofreu uma reviravolta. No entendimento da diretora Ana Novaes, que foi acompanhada pelos demais integrantes do órgão, a lei permite interpretação mais ampla. Segundo ela, o fundo de investimento pode participar das assembleias por meio de seu gestor ou por um representante que atenda aos critérios de representação da própria asset. No caso da Modal, o funcionário que compareceu à assembleia tinha uma procuração assinada por dois diretores da gestora, conforme prevê seu contrato social.

“Creio que essa interpretação é a que me melhor se coaduna com o objetivo de promover e facilitar o acesso dos acionistas — inclusive, indiretamente, daqueles que delegaram a gestão de seus recursos aos fundos de investimentos — às assembleias das companhias”, disse Ana, em seu voto. A nova interpretação já está em vigor e vale para todo o mercado.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a algumas reportagens.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Fundos de Investimentos CAPITAL ABERTO mercado de capitais assembleia voto procurador Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Página difícil de virar (Saraiva)
Próxima matéria
O mercado deu alta (Raia Drogasil)




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Página difícil de virar (Saraiva)
Uma das marcas mais tradicionais do setor de livros do País, a Saraiva enfrentou turbulências dentro e fora de casa em 2014....