Classificação dos fundos de investimentos muda a partir de julho



No mês passado, a Anbima anunciou uma nova classificação dos fundos de investimentos. O modelo leva em conta os fatores de risco e as estratégias de cada produto, para facilitar a tomada de decisão dos investidores e aumentar a transparência do mercado. Há a expectativa de que a mudança também permita uma comparação adequada entre os fundos.

A atualização é uma consequência da Instrução 555, editada pela CVM em dezembro de 2014. A norma, que substituiu a Instrução 409, dividiu os fundos em quatro grandes classes: renda fixa, ações, multimercados e cambial. A partir disso, a Anbima criou outros dois níveis de classificação no âmbito da autorregulação. Os fundos de renda fixa, por exemplo, foram divididos em sete categorias; os de ações terão quatro segmentos. A partir do dia 1o de julho, todas as entidades vinculadas à associação já deverão estar com seus fundos reclassificados.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Fundos de Investimentos Anbima classificação dos fundos de investimentos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Tsunami à brasileira
Próxima matéria
Petrobras divulga números auditados, com reprovação de conselheiros



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você