Cardápio ampliado

Gestão de Recursos/Legislação e Regulamentação/Seletas/Edição 122 / 1 de outubro de 2013
Por 


Os ETFs lastreados em carteiras de renda variável vão ganhar companhia. No mês passado, a CVM editou a Instrução 537, que cria os fundos de índice de renda fixa. Outra novidade trazida pela norma é o “cash creation” — possibilidade de o gestor do fundo aceitar moeda corrente nacional, e não só valores mobiliários, para a integralização e o resgate de cotas, desde que previsto no regulamento do ETF. O objetivo desse dispositivo, segundo a autarquia, é dar ao administrador do fundo mais liberdade para otimizar a carteira.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM CAPITAL ABERTO mercado de capitais ETF carteira de renda variável Instrução 537 fundos de índice de renda fixa cash creation Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
RIs grandes e ativos
Próxima matéria
Gás para as debêntures



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
RIs grandes e ativos
Os departamentos de relações com investidores de companhias brasileiras são vistos, no geral, como enxutos. Mas uma pesquisa...