Finep mira gestores internacionais de fundos de fundos

Bimestral/Relações com Investidores/Temas/Edição 92 / 1 de abril de 2011
Por 


Diante do apetite crescente de grandes gestoras de private equity globais pelo Brasil, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) vai selecionar, pela segunda vez, projetos de fundos de fundos para serem apresentados a potenciais investidores. Em abril, a estatal deve anunciar a 12ª chamada pública do programa Inovar de venture capital, private equity e fundos de fundos. Em 2010, a 11ª chamada recebeu duas inscrições.

A única a passar pela peneira foi a suíça Capital Dynamics, que abriu um escritório no Rio há um ano. Aproximadamente dez investidores institucionais, como entidades de previdência complementar, fizeram uma avaliação (due dilligence) do fundo. O plano da gestora é angariar ao menos R$ 50 milhões e, então, registrar o fundo de fundos na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A Capital Dynamics vai adquirir, basicamente, cotas de fundos dirigidos por terceiros. Estão na mira empresas de setores que tiram proveito da realização dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo no País, nos próximos anos, e do aumento de renda da população. Esses aspectos funcionam como ímã de firmas estrangeiras. Além da Capital Dynamics, outra gestora conhecida no mercado de fundos de fundos, a suíça Partners Group, abriu suas portas no Brasil, no fim de 2010. Em fevereiro deste ano, foi a vez de a norte-americana Siguler Guff, que atua no mesmo segmento, inaugurar um escritório em São Paulo.

“Percebemos o interesse de gestoras globais especializadas nesse nicho”, diz Renata Guinther, chefe do departamento de investimentos em fundos da Finep. A vantagem desses veículos é a maior diversificação das carteiras, que diminui o risco da aplicação para investidores menores, como os fundos de pensão médios. O objetivo da estatal é fomentar o investimento em empresas inovadoras.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  investimentos Private equity e venture capital Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Gestão à brasileira
Próxima matéria
Vale mostra fragilidade do conselho diante do controlador



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Gestão à brasileira
O processo de estabilização da economia iniciado com o Plano Real impulsionou o desenvolvimento dos mercados de capitais...