Fiéis à tradição

Conselhos fiscais fazem parte de 69% das companhias, o mesmo patamar observado em 2009

Especial/Governança Corporativa/Reportagem/Anuário de Governança Corporativa 2010/Temas / 1 de outubro de 2010
Por 


Apesar da tendência de instalação de comitês de auditoria nas empresas que fazem ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês), os conselhos fiscais continuam firmes e fortes nas companhias brasileiras listadas há mais tempo. O conselho fiscal está presente em 69% das empresas pesquisadas para a elaboração deste anuário, proporção praticamente igual à do ano passado, que foi de 68,8%. Em 28,4% dos casos, ele é “turbinado”, desempenhando também as atribuições do comitê de auditoria.

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) recomenda que as empresas instalem tanto o conselho fiscal como o comitê de auditoria, já que as duas ferramentas são complementares. Na visão do instituto, os conselhos fiscais são parte integrante do sistema de governança das organizações brasileiras e devem ser vistos como um mecanismo de controle independente para os sócios.

“O melhor é ter os dois órgãos. Mas o conselho fiscal é indispensável graças a sua efetividade”, acredita Renato Chaves, especialista em governança corporativa e conhecido defensor dos conselhos fiscais. Chaves destaca como diferenciais dos conselhos o poder de denunciar erros ou fraudes da administração da empresa e o fato de publicarem atas de suas reuniões. “O comitê é uma costela do conselho de administração e, por isso, não tem independência. Geralmente, ele não tem sequer um relatório de atividades”, critica.

“Quando o calo aperta, a independência é fundamental”, reforça Reginaldo Ferreira Alexandre, consultor da Proxycon Assessoria Empresarial e presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais em São Paulo (Apimec SP). Para ele, não é verdadeiro o argumento comumente propalado de que o conselho fiscal tem um olhar sobre o passado, enquanto o comitê tem uma atuação mais preventiva. “O conselho fiscal pode ser proativo e incomodar muito em situações de conflito”, resume.

Os conselhos fiscais também podem opinar sobre demonstrações financeiras, alterações no capital social, planos de investimento, distribuição de dividendos e fusões e aquisições, dentre outros assuntos.

A Lei das S.As. define que o conselho fiscal tenha de três a cinco membros. A média encontrada neste anuário é de 3,9. Os titulares de ações preferenciais sem direito a voto ou com voto restrito têm direito de eleger, em votação separada, um membro e seu respectivo suplente. O mesmo direito é dado a outros acionistas minoritários, desde que representem, em conjunto, 10% ou mais das ações votantes. Segundo o IBGC, nas organizações com controle definido, os sócios majoritários devem abrir mão da prerrogativa de eleger a maioria dos membros do conselho fiscal, deixando espaço para os eleitos por minoritários.

A publicação do Formulário de Referência — instituído no fim do ano passado pela Instrução 480 da Comissão de Valores Mobiliários — permitiu que, pela primeira vez, os investidores conhecessem os valores máximo, médio e mínimo pagos anualmente aos membros do conselho fiscal. De acordo com as estatísticas do anuário, a remuneração média dos conselheiros fiscais foi de R$ 77.953,50 em 2009. “Ficar de olho nessa informação é importante para identificar discrepâncias”, alerta Chaves.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Conselho fiscal Lei das S.As (Lei nº 6.404) Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Com a guarda aberta
Próxima matéria
No escuro



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Com a guarda aberta
A maioria das companhias de capital aberto não possui uma estratégia sólida capaz de identificar, avaliar e administrar...