Deutsche Bank quer baratear custos da indústria financeira

Gestão de Recursos/Internacional/Temas/Edição 110 / 1 de outubro de 2012
Por 


O Deutsche Bank quer convencer seus concorrentes a compartilharem softwares financeiros em um esforço para baratear os custos da indústria. O compartilhamento seria um passo inusitado para os bancos de investimento. Historicamente, essas instituições sempre fizeram questão de construir seus próprios sistemas e guardar sua tecnologia a sete chaves. Os esforços do banco alemão evidenciam a enorme pressão por redução de gastos diante da fragilidade dos mercados e de regulações que penalizam as margens de lucro.

Neste ano, o Deutsche Bank lançou a fundação Lodestone Foundation, cujo objetivo é fornecer softwares financeiros open source — ou seja, que podem ser baixados gratuitamente da internet e customizados conforme as necessidades de quem for usá-lo. O compartilhamento de programas pelos bancos globais, de acordo com o Deutsche, vai gerar uma economia de bilhões de dólares.

A iniciativa parece fazer sentido. Desenvolvedores de software financeiro afirmam que a tecnologia utilizada pelos bancos é parecida e que é normal replicarem os sistemas criados para uma instituição em outra. “Todo mundo pensa que TI (tecnologia da informação) é uma fonte de vantagem competitiva. Mas será mesmo que todos os programas que desenvolvemos têm essa capacidade? Eu tenho certeza que não”, reforçou Kevin Rodgers, diretor global da área de operações cambiais do Deutsche, em um vídeo de divulgação da Lodestone.

Dirk Ward, também diretor do banco alemão, ressaltou nesse mesmo vídeo que o uso de softwares de código aberto é comum em empresas de tecnologia como o Facebook. “A rede social passou de zero para três vezes a capitalização de mercado do Deutsche Bank utilizando de forma agressiva softwares open source. Essa é uma oportunidade que não podemos deixar passar.”


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Deutsche Bank Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Torcida recolhida
Próxima matéria
Clawbacks: uma forma de alinhar incentivos?



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Torcida recolhida
No ano passado, as bolsas norte-americanas Bats e Direct Edge manifestaram o desejo de abrir uma plataforma de negociação...