Demissões de CFOs crescem ano após ano, revela estudo



Levantamento feito pela Crist Kolder Associates, consultoria em recrutamento executivo, mostra que o cargo de diretor financeiro nas maiores empresas norte-americanas tem sido um dos mais instáveis nos últimos anos. O trabalho descobriu que, em 2007, a volatilidade do cargo foi a mais alta dos últimos 13 anos, com a saída de 128 CFOs — 38% a mais que as 93 destituições do ano anterior.

O estudo analisou dados das 659 companhias dos índices Fortune 500 e S&P 500 e, em mais da metade delas, foi constatado que os CFOs tinham tempo de casa inferior a três anos.

“Os running backs da NFL (National Football League) estão durando mais que a maioria dos CFOs”, comparou Tom Kolder, presidente da consultoria, referindo-se à posição do futebol americano que mais apanha; e por isso mesmo a que tem carreira mais curta — estimada em três anos. Incluindo a outra metade das empresas, a duração média dos CFOs ficou em quase cinco anos, um ano a menos que em 2006.

Kolder conta que o cargo é bastante sensível aos dois extremos da saúde financeira da companhia. “Quando as coisas estão bem, o CFO é assediado por outras empresas; quando a maré está revolta, os acionistas querem encontrar o culpado, e geralmente o primeiro a ir embora é ele”.

O consultor lembra que, quando a liquidez internacional estava boa, muitos diretores financeiros migraram para o setor de private equity, atraídos por remunerações mais gordas. Agora, com a crise, estão sendo demitidos pelos baixos retornos.

Outro profissional que fica sob a mira implacável de acionistas em caso de desempenho insatisfatório é o diretor executivo (CEO). A volatilidade na atividade de CEO, contudo, aumentou de maneira mais branda: em 2007, houve a substituição de 87 CEOs, contra 80 no ano anterior.

Conteúdo extra

Confira a íntegra do estudo que relaciona instabilidade do cargo de CFO com a carreira de um running back, posição do futebol americano mais exposta às jogadas violentas.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  mercado internacional EUA Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mitos da Governança Corporativa no Brasil - II
Próxima matéria
Custodiante de CDS vai abrir informações sobre contratos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Mitos da Governança Corporativa no Brasil - II
A seção Governança deste mês apresenta a segunda e última parte do artigo Mitos da Governança Corporativa no Brasil....