Crise do subprime amplia críticas de ativistas à governança

Governança Corporativa/Internacional/Temas/Edição 57 / 1 de maio de 2008
Por , e


A crise do subprime começa a arranhar a governança corporativa nos Estados Unidos. Um estudo da consultoria especializada em gestão de riscos financeiros RiskMetrics Group identificou um aumento no número de litígios e no ativismo dos investidores após a turbulência. O ano passado foi marcado por uma grande quantidade de ações movidas na Justiça, com tendência de aumento em 2008. Só em abril foram contabilizados pelo menos 67 processos ligados à securitização do subprime contra empresas, gestores de fundos, construtoras e credores hipotecários.

Entre as causas do crash apontadas pelos entrevistados estava a ineficiência do gerenciamento de risco de corporações expostas ao crédito subprime, com 38% dos votos, e a ausência de regulação para a indústria hipotecária, com 24%. O estudo também revelou que a maioria dos investidores não confia na capacidade dos gestores de controlar bem os riscos. Contudo, foi a falta de transparência (38%) que mais tirou o sono de investidores, seguida por políticas de remuneração que incentivam a busca de resultados de curto prazo (29%) e a falta de visão estratégica do conselho de administração, com 22% dos votos.

“Embora os investidores, de uma forma geral, não estejam interessados em transformar os diretores nos bodes expiatórios da crise do crédito, eles esperam que os executivos se responsabilizem por colapsos que ocorreram em suas gestões”, diz Bimal Patel, gerente de governança corporativa e políticas do RiskMetrics Group.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Governança Corporativa Gestão de riscos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
ICGN defende os SWFs e rechaça protecionismo
Próxima matéria
Obama, o queridinho dos mais ricos gestores de fundos hedge



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
ICGN defende os SWFs e rechaça protecionismo
O International Corporate Governance Network (ICGN), entidade que congrega grandes investidores em nome das boas práticas...