Contra a maré

SulAmérica e Celesc ignoram onda de demissões e fortalecem suas áreas de Relações com Investidores

Relações com Investidores/Temas/Edição 70 / 1 de junho de 2009
Por 


Menina dos olhos das companhias abertas durante o boom dos IPOs, a área de Relações com Investidores (RI) foi uma das primeiras a sentir na pele os impactos da crise. Sob a pressão por cortes de custos, diretores foram demitidos e equipes reduzidas. Algumas empresas, contudo, como a seguradora SulAmérica e a elétrica Celesc, contrariam esse cenário.

Em janeiro, a área de RI da Sul-América começou a se expandir. Comandada pelo vice-presidente Arthur Farme, o departamento conta hoje com o dobro de profissionais que tinha no IPO. A intenção do executivo é fazer com que o trabalho de RI ganhe cada vez mais espaço dentro da empresa e estreite laços com acionistas, investidores e analistas de mercado. Segundo Farme, a estratégia já surte efeito. “Agora entramos para o índice de small caps. O próximo passo é fazer parte do IBX-100 e trabalhar constantemente para ampliar a liquidez das ações da companhia.”

Na Celesc, a área de RI foi alçada ao status de diretoria há um mês e meio. Na configuração anterior, o departamento estava debaixo do guarda-chuva da diretoria financeira. A nova diretoria engloba não somente a área de RI propriamente dita, mas também as gerências de comunicação, de relações institucionais e societárias e de responsabilidade social empresarial. Para Ricardo Alves Rabelo, diretor da nova área, esse formato valoriza a função de RI e cria uma equipe forte, multidisciplinar e capaz de dialogar melhor com o mercado.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Relações com investidores Carreiras Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em busca do conselheiro efetivo
Próxima matéria
As ofertas estão de volta



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Em busca do conselheiro efetivo
A figura do “conselheiro independente” se tornou peça fundamental do movimento em prol das melhores práticas de governança...