Diretores da Mundial são condenados pela CVM

Em decisão relacionada ao processo que apura o descumprimento de normas contábeis nas demonstrações financeiras da Mundial entre 2009 e 2011, o colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estabeleceu, por unanimidade, multas individuais de R$ 500 mil para os diretores Michael Lenn Ceitlin, …

Contabilidade e Auditoria/Seletas/Reportagem/Edição 31 / 20 de maio de 2016
Por 


Ilustração: Rodrigo Auada

Ilustração: Rodrigo Auada

Em decisão relacionada ao processo que apura o descumprimento de normas contábeis nas demonstrações financeiras da Mundial entre 2009 e 2011, o colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estabeleceu, por unanimidade, multas individuais de R$ 500 mil para os diretores Michael Lenn Ceitlin, Marcelo Fagondes de Freitas e Julio Cesar Camara.

Segundo Roberto Tadeu, relator do caso, a apuração da Superintendência de Fiscalização Externa (SFI) constatou que os diretores agiram para maquiar a realidade econômica da companhia ao não constituir provisão para eventuais perdas com a coligada Hércules. A empresa, que enfrentava dificuldades financeiras, devia R$ 272,5 milhões à Mundial. O montante representava 32,7% do ativo total da empresa de alicates e 199,8% do patrimônio líquido. Mesmo diante dessa situação, o relatório da auditoria foi emitido sem nenhuma ressalva (leia mais na edição 20 de SELETAS).

Mundial_S31_Pt2

O regulador verificou, ainda, outro problema nas demonstrações financeiras do período em análise: elas não especificavam os saldos contábeis dos passivos vinculados ao programa de recuperação fiscal (Refis), que congelou a dívida da Mundial desde 1999. Na visão de Tadeu, o fato de a companhia ter refeito os balanços de 2010 e 2011, para incluir esses tópicos, atesta seu equívoco, responsável por um ajuste significativo no patrimônio líquido — o prejuízo acumulado aumentou 284,69% na demonstração de 2011.

O julgamento dos diretores é apenas mais um capítulo da “bolha do alicate”. No episódio, manipulações de preço fizeram com que as ações da Mundial subissem 1.500% em apenas três meses.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 36 00

Mensal

Acesso Digital
-
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Completa

R$ 42 00

Mensal

Acesso Digital
Edição Impressa
Desconto de 10% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Corporativa

R$ 69 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 15% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital

Clube de conhecimento

R$ 89 00

Mensal

Acesso Digital - 5 senhas
-
Desconto de 20% em grupos de discussão, workshops e cursos de atualização
Acervo Digital | Acervo de Áudios



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM normas contábeis Mundial demonstrações financeiras Hércules bolha do alicate Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Tragédia da Samarco expõe limitações da gestão convencional
Próxima matéria
Lenha na fogueira



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Tragédia da Samarco expõe limitações da gestão convencional
O rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Minas Gerais, o maior desastre ambiental causado por vazamento de resíduos...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}