Bom para uns, ruim para outros

A MP 627, que trata da tributação do lucro de companhias brasileiras no exterior, foi aprovada no fim de março. Ficou determinado que elas devem destinar 34% de seu lucro ao pagamento de impostos.

Contabilidade e Auditoria / Seletas / Edição 128 / 1 de Abril de 2014
Por  e


A MP 627, que trata da tributação do lucro de companhias brasileiras no exterior, foi aprovada no fim de março. Ficou determinado que elas devem destinar 34% de seu lucro ao pagamento de impostos. Se a empresa, por exemplo, tiver de pagar 21% de imposto em outro país, terá que dar outros 13% ao fisco brasileiro. Os setores de bebidas, produtos alimentícios e construção de edifícios e obras de infraestrutura, entretanto, ganharam um crédito de 9% para o dinheiro que vier de países cuja tributação não seja inferior a 20%. Entre as empresas que se beneficiarão dessa medida, estão Ambev, Braskem e Marcopolo. A BRF, entretanto, tem muitas operações na Ásia e no Oriente Médio, locais onde a alíquota é muitas vezes menor que 20%, o que a deixa em uma posição desconfortável: terá que pagar 34% em impostos, perdendo competitividade.

Ilustração: Beto Nejme /Grau 180.com



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais tributação MP 627 lucros no exterior Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em baixa
Próxima matéria
Derrotados




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Em baixa
No dia 24, a Standard & Poor´s rebaixou o rating do Brasil de BBB para BBB-, nível mais baixo do grau de investimento....