Companhias instalam comitê que adia rodízio de auditoria

Contabilidade e Auditoria/Temas/Edição 107 / 1 de julho de 2012
Por 


A partir de 2013, ao menos 11 companhias contarão com o benefício do prazo estendido para a troca obrigatória da firma de auditoria independente contratada. Segundo levantamento da CAPITAL ABERTO, até meados de junho, esse era o número de empresas adequadas à Instrução 509 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), editada em novembro de 2011.
A norma flexibilizou o rodízio compulsório ao aumentar seu intervalo de cinco anos para dez anos para as companhias que, no exercício social anterior à contratação dos auditores externos, tiverem instalado um comitê de auditoria estatutário dentro do formato proposto pela instrução. Comgás, Cosan, Embraer, HRT Participações, Iochpe Maxion, LLX, M. Dias Branco, Magazine Luiza, Manabi (em processo pré–IPO), Lojas Marisa e SulAmérica preenchem esse pré–requisito.

Além da previsão em estatuto, o comitê de auditoria da Instrução 509 exige que o órgão seja composto de três a cinco membros, dos quais a maioria deve ser independente. A qualificação dos integrantes também é levada em conta. Do grupo devem fazer parte ao menos um membro da administração da companhia e um profissional com experiência comprovada em contabilidade.

Embora não confirmem se vão usar a prerrogativa já na próxima contratação de serviços de auditoria, algumas companhias destacaram os benefícios dessa possibilidade quando questionadas pela reportagem. “É uma alteração importante se considerarmos a complexidade envolvida na mudança de auditores”, observa José Cezario, diretor de controladoria da Cosan. Para a SulAmérica, o aumento do prazo para a rotação da firma de auditoria é “apenas uma consequência do aprimoramento da governança corporativa”. A HRT, por meio de sua assessoria de imprensa, também reconhece que o comitê é um “avanço que traz mais transparência e independência ao processo de auditoria”.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM Instrução 509 auditoria independente Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Bancos esperam mais ofertas de debêntures pela Instrução 400
Próxima matéria
Assembleias começam sem regras para voto a distância



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Bancos esperam mais ofertas de debêntures pela Instrução 400
A estrela da renda fixa privada em 2011 foi a Instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na norma, a autarquia...