Xangai permite short selling a estrangeiros



A partir de março, investidores estrangeiros poderão negociar a descoberto na Bolsa de Xangai. Conhecida como “short selling” em inglês, a prática consiste na venda de uma ação que o investidor não possui ou que pegou emprestada. Quando faz esse tipo de negociação, espera vender o papel na alta e comprá-lo de volta na baixa, em uma data posterior. A iniciativa faz parte de um movimento dos reguladores chineses para abrir o mercado de ações do país.

Para evitar abusos, os reguladores locais vão colocar limite à prática. Apenas 1% das ações em circulação da companhia poderá ser alvo do short selling por dia. Na opinião de alguns analistas do mercado, a limitação é tão severa que reduz a atratividade da venda a descoberto. Para investidores locais, o short selling é permitido desde 2008.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CAPITAL ABERTO mercado de capitais Xangai short selling aluguel de ação Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Mais dor de cabeça na Usiminas: após racha no bloco de controle, CSN volta a cobrar tag along
Próxima matéria
Brasis com problemas



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Mais dor de cabeça na Usiminas: após racha no bloco de controle, CSN volta a cobrar tag along
A Nippon e a Ternium, as duas principais acionistas da Usiminas, iniciaram uma acirrada disputa pelo poder da siderúrgica....