Títulos de catástrofe devem ter volume recorde de emissões nos EUA



Enquanto os covered bonds estão em baixa, os cat bonds se tornam cada vez mais comuns. Os títulos são vendidos pelas seguradoras, que empacotam os seguros contra catástrofes naturais (furacões e terremotos, por exemplo) comprados por seus clientes e os oferecem a investidores — entre eles, estão gestoras de recursos, hedge funds e fundos voltados a esse tipo de investimento. Se a catástrofe não acontecer e, assim, a seguradora não precisar cobrir o sinistro, os investidores ganham um prêmio; caso contrário, perdem todo o capital investido.

Dados da consultoria de risco Willis Capital Markets & Advisory, publicados no início de julho, indicam que o ano 2014 deve registrar volume recorde de emissões. Apenas no segundo trimestre, foram captados US$ 4,5 bilhões em 17 lançamentos de cat bonds — no mesmo período de 2013, igual número de negócios gerou US$ 3,3 bilhões. O trimestre foi movimentado por duas das maiores emissões da história: uma de US$ 1,5 bilhão contra furacões na Flórida e outra de US$ 950 milhões contra tempestades, terremotos e tornados no mesmo estado americano.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Estados Unidos CAPITAL ABERTO mercado de capitais seguradora cat bonds catástrofe seguro Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Alguém sabe, alguém viu?
Próxima matéria
SEC investiga 44 assets por insider trading



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Alguém sabe, alguém viu?
Em português bem claro: no mês de abril, a Portugal Telecom (PT) emprestou € 897 milhões à companhia de um de seus...