Oi ganha fôlego após venda de ativos portugueses

Captação de recursos/Seletas/Edição 138 / 1 de fevereiro de 2015
Por 


oi-ganha-folegoEm 22 de janeiro, os acionistas da Portugal Telecom SGPS, dona de 25,6% da Oi, aprovaram a venda dos ativos portugueses para a Altice, grupo que reúne diversas empresas europeias de telecomunicações. O negócio de € 7,4 bilhões é considerado peça-chave para que a tele brasileira participe do processo de consolidação esperado no setor. Uma das combinações cogitadas é que Oi, Claro e Vivo se juntem para arrematar a TIM.

A venda da operação portuguesa foi a solução encontrada para amenizar a polêmica fusão entre Oi e Portugal Telecom, anunciada em 2013. Inicialmente, as duas empresas se juntariam para formar a multinacional CorpCo; os planos acabaram revistos após a PT levar calote no escandaloso empréstimo que concedeu à subsidiária de um de seus principais acionistas.

O responsável pelo mau negócio não foi descoberto. A PwC foi contratada para investigar o caso, mas no começo de janeiro divulgou um relatório em que concluiu não ser possível apontar o responsável pela operação. O documento também não esclareceu se Zeinal Bava, presidente da Oi que costurou a fusão, sabia do empréstimo. O executivo também ocupou os cargos de presidente e de diretor financeiro da Portugal Telecom.

Enquanto isso, as ações da Oi seguem ladeira abaixo. Em 2014, a ação preferencial despencou 75%. Foi o pior desempenho entre os papéis que compõem o Ibovespa — no mesmo período, o índice caiu 0,66%. Neste ano, até 28 de janeiro, a queda da ação preferencial da Oi é de 31,93%.

Ilustração: Rodrigo Auada


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Oi CAPITAL ABERTO mercado de capitais fusão Portugal Telecom Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
João Elek assume diretoria de governança da Petrobras
Próxima matéria
Com aval do Cade, CBC assume o controle da Forjas Taurus



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
João Elek assume diretoria de governança da Petrobras
Em 19 de janeiro, João Adalberto Elek Júnior assumiu a diretoria de governança, risco e conformidade da Petrobras. A área...