Novidades no balcão (Cetip)

Empresa de serviços financeiros cria produtos para enfrentar conjuntura negativa

Captação de recursos / Alta & Baixa / Edição 133 / 1 de setembro de 2014
Por 


alta1Bons números convertem-se em valorização na bolsa? No caso da Cetip, sim. A empresa de serviços financeiros tem duas unidades: uma registra títulos e valores mobiliários no mercado de balcão; a outra cuida de garantias em financiamento de veículos. Ambas obtiveram crescimento na casa dos dois dígitos (18,9% e 15,3%, respectivamente) e alavancaram a cotação da ação, que registrou alta de 32,1% neste ano até o dia 5 de agosto. Os números vieram acima das expectativas e ajudaram a Cetip, que já tinha a recomendação positiva de várias casas de análise, a conquistar mais pontos aos olhos do mercado.

Desde 2012, quando mudanças na política do governo afetaram duramente o setor elétrico, bancos e corretoras garimparam novas companhias para ocupar o espaço das grandes geradoras de retorno ao acionista. Aos poucos, as prestadoras de serviços financeiros ocuparam esse espaço.

Levantamento da Economatica mostra que apenas dez empresas listadas distribuíram religiosamente seus lucros para o investidor no período compreendido entre janeiro de 2012 e o início de 2014 — uma delas, a Cetip. No primeiro trimestre deste ano, conforme os analistas da Coinvalores Felipe Silveira e Daniel Liberato, a companhia decidiu distribuir dividendos extraordinários. Elevou o total pago a 75% dos lucros, proporção igual à da parcela entregue no fim de 2013. alta2

Para distribuir, no entanto, é preciso gerar. E, embora a Cetip esteja no azul, o bom resultado do primeiro trimestre deve ser visto com atenção. É preciso considerar que a Copa do Mundo e o cenário eleitoral fizeram as empresas anteciparem suas captações. Recente relatório operacional da companhia mostra queda nos registros de certificados de depósito bancário (CDBs), certificados de depósito interbancário (CDIs) e swaps no segundo trimestre em relação ao primeiro: -18,2%, -8,3% e -23,4%, respectivamente. Os números indicam que o volume de registros estaria se alinhando ao desempenho da economia. Por isso, analistas do BTG Pactual afirmam que o crescimento dos lucros da Cetip vai depender do desenvolvimento de novos produtos.

A companhia parece estar atenta a isso. Criou o Certificado de Operações Estruturadas (COE), uma combinação de renda fixa e renda variável que, aos seis meses de vida, atingiu R$ 2,8 bilhões em estoque. Outras iniciativas estão sendo gestadas, como uma contraparte central para os derivativos de balcão, cuja autorização ainda está pendente no Banco Central. Também está por vir a chamada fase dois da plataforma imobiliária da empresa, que consiste no registro eletrônico em cartório dos contratos de financiamento.


A escolha das companhias para esta seção é feita a partir de um levantamento da Economatica com a oscilação e o volume negociado mensalmente por ações que possuem giro mínimo de R$ 1 milhão por dia. A partir daí, são escolhidas aquelas que se destacam pelas variações positivas e negativas nos últimos seis meses.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  cetip CAPITAL ABERTO mercado de capitais COE Mercado de balcão Economática certificado de operações estruturadas Felipe Silveira serviços financeiros financiamento de veículos Daniel Liberato Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Em liquidação (BR Brokers)
Próxima matéria
Companhias e empresários fortalecem o caixa de partidos políticos



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Em liquidação (BR Brokers)
Dentro e fora da BM&FBovespa, o setor imobiliário passa por dificuldades em 2014. Enquanto as vendas de imóveis novos...