Mais um

Eike Batista entrou para o rol de investigados criminalmente pela prática de insider trading.

Captação de recursos / Seletas / Edição 129 / 1 de Maio de 2014
Por 


Eike Batista entrou para o rol de investigados criminalmente pela prática de insider trading. Após apuração, a CVM concluiu que o empresário e outros administradores da OGX sabiam da inviabilidade dos principais campos de petróleo desde outubro de 2012, mas só deram a má notícia aos acionistas em julho de 2013. Poucos meses antes, Eike vendeu parte de suas ações no mercado. Em nota, a EBX, holding controladora do grupo, afirmou que não houve má-fé do empresário ao negociar os papéis. Em face do indício de crime, a CVM levou o caso ao Ministério Público. Até agora, só um episódio rendeu condenação penal por insider trading no Brasil. Executivos da Sadia foram punidos por terem negociado, em 2006, ações da empresa tendo a informação privilegiada de que ela faria uma oferta para comprar a Perdigão.

Ilustração: Marco Mancini/Grau180.com



Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM OGX Insider trading CAPITAL ABERTO mercado de capitais EIKE BATISTA Ministério Público crime Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Ordem na casa
Próxima matéria
Dinheiro à vista




Recomendado para você




1 comentário

May 01, 2014

Eu não acredito que o Sr. Eike Batista sabia da inviabilidade dos poços de petróleo, porque? ele investia muito na nossa cidade e fazia questão se apresentar em público. Coisa que um vigarista não faria. Respeitem o moço. Ele tem patente alta e bigode grosso.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Ordem na casa
Está em análise na CVM o novo sistema de intermediação criado pela BM&FBovespa. Caso ele seja aprovado, as corretoras...