Itaú BBA espera ofertar até R$ 10 bi em ações ainda este ano

O histórico recente das ofertas de ações no Brasil não é de encher os olhos, mas já sinaliza que o apetite dos investidores, especialmente os estrangeiros, está de volta. Em julho, a Energisa captou R$ 1,5 bilhão por meio de uma emissão subsequente de ações cuja demanda superou em sete vezes a …

Captação de recursos/Seletas/Reportagem/Edição 45 / 26 de agosto de 2016
Por 


Brasil_S45_Pt

Ilustração: Rodrigo Auada

O histórico recente das ofertas de ações no Brasil não é de encher os olhos, mas já sinaliza que o apetite dos investidores, especialmente os estrangeiros, está de volta. Em julho, a Energisa captou R$ 1,5 bilhão por meio de uma emissão subsequente de ações cuja demanda superou em sete vezes a oferta. No começo deste mês, os sócios da CVC arrecadaram R$ 1,2 bilhão com uma oferta secundária com esforços restritos (feita pela Instrução 476). O sucesso das operações, na avaliação do Itaú BBA, reforça a ideia de que este segundo semestre será de retomada.

“Fomos surpreendidos pelo fluxo de entrada de recursos em países emergentes”, disse Christian Egan, diretor do Itaú BBA, durante almoço que o banco promove anualmente com a imprensa. Segundo ele, os investidores estrangeiros estão dispostos a aproveitar oportunidades, apesar da crise político-econômica do País. “Esse é um fenômeno que deve se manter nos próximos meses”, arrematou.

Brasil_S45_Pt2

Prova disso é o fato de o Itaú BBA, sozinho, já ter mandato para lançar cinco ofertas de ações — e o banco ainda espera fechar outras transações, totalizando captação de até R$ 10 bilhões, entre IPOs e ofertas subsequentes. Se as previsões se confirmarem, o volume captado pelo mercado em 2016 tende, ao menos, a se igualar ao do ano passado. Em 2015, as ofertas de ações somaram R$ 16,7 bilhões — cifra dominada pela Telefônica, responsável pela captação de R$ 16,1 bilhões. “Os empresários começam a destravar planos de investimentos, o que gera demanda por crédito”, analisa Egan.

Outros tipos de captação também serão favorecidos pelo maior otimismo dos investidores e pela retomada do crescimento econômico, apesar de o banco projetar que a taxa de desemprego vai continuar aumentando por algum tempo. Felipe Wilberg, responsável pelas áreas de renda fixa e project finance, prevê novos nomes explorando o mercado de dívida externa já a partir de setembro. Segundo ele, são companhias que até então se financiavam no mercado local, junto aos bancos comerciais e ao BNDES.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  ações IPOs Itaú investimento oferta de ações crise econômica compra de ativos Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Empresários não pretendem, nem desejam, se submeter à vontade da minoria
Próxima matéria
Para CVM, recuperação judicial não dispensa divulgação de informações periódicas por companhia aberta



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Empresários não pretendem, nem desejam, se submeter à vontade da minoria
Fico impressionado com a quantidade de pessoas que opinam sobre questões relevantes do mercado desconsiderando decisões...
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}