FIDCs ensaiam recuperação no primeiro semestre

Captação de recursos/Adiante/Edição 132 / 1 de agosto de 2014
Por 


Após dois anos fracos, o mercado de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDCs) começa a dar sinais de recuperação. No primeiro semestre deste ano, oito ofertas foram registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), captando R$ 1,62 bilhão. A soma é mais que o dobro da obtida no mesmo período do ano passado, quando três operações angariaram R$ 577,8 milhões. Ao todo, em 2013, 11 ofertas foram registradas na autarquia, captando R$ 3,55 bilhões. Já o número de novos FIDCs registrados alcançou 45 neste semestre, menos que no mesmo período de 2013, porém entre as três melhores marcas da última década.

Segundo especialistas, o desempenho do primeiro semestre indica uma reorganização do mercado no rescaldo da Instrução 531 da CVM, promulgada em fevereiro do ano passado. A norma alterou a legislação principal que regula o instrumento (a Instrução 393, de 2003), estabelecendo responsabilidades adicionais para os custodiantes e apertando o cerco sobre conflito de interesses. Proibiu, por exemplo, que administradores e gestores sejam cedentes ou originadores dos créditos. O prazo para implantação completa das novas regras expirou em fevereiro.

“A instrução aprimorou o nível de transparência e reduziu o risco de conflito de interesses, mas aumentou o custo da estruturação”, afirma Pedro Junqueira, da Uqbar, empresa especializada em securitização. Até a divulgação das novas regras, as incertezas fizeram o mercado de FIDC estagnar. Em seguida, veio um período de adaptação e amadurecimento. “Com as mudanças, e a divisão dos papéis nos FIDCs mais bem estabelecida, há um movimento de retomada”, avalia Fernanda Amaral, do escritório Felsberg e Associados.

Um dos efeitos da acomodação do mercado, diz Junqueira, consistiu na liquidação de alguns fundos, embora sem impactos significativos na indústria. “Foi um movimento marginal.” Agora, a alta do número de registros suscita a esperança de um futuro mais promissor. Para o especialista, o contexto macroeconômico é positivo, devido ao crescimento do estoque de crédito nos bancos.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CVM CAPITAL ABERTO mercado de capitais FIDC Instrução 531 Instrução 393 captação Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Uma Cremer só para a Tarpon
Próxima matéria
Decisão do Fisco traz surpresa amarga para FIIs



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Uma Cremer só para a Tarpon
A saída da Cremer do nível máximo de governança corporativa causou burburinho entre os investidores. Não é para menos....