CRIs conversíveis reduzem risco da incorporação imobiliária

Captação de recursos/Bimestral/Legislação e Regulamentação/Edição 100 / 1 de dezembro de 2011
Por 


O primeiro certificado de recebível imobiliário (CRI) com possibilidade de ser convertido em participação direta no imóvel financiado encerrou sua oferta em março. E uma segunda operação, também conversível, está sendo estruturada. Ambas usam a Instrução 476, que prevê a realização de ofertas públicas com esforços restritos de venda. O alvo das emissões são os investidores pouco afeitos a correr o risco da incorporação imobiliária desde o início do empreendimento, mas interessados em ter uma fatia do imóvel pronto.

Nesse tipo de emissão, o tomador obtém os recursos necessários para a construção ou expansão de um imóvel e dá ao investidor um prêmio na conversão dos papéis. O investidor, por sua vez, entra no negócio em um estágio inicial, mas sem correr os riscos da obra e com a possibilidade de converter os certificados em participação direta caso o negócio, quando concluído, se mostre atraente. “Isso nos permite trazer investidores interessados no resultado do empreendimento, mas avessos ao risco do desenvolvimento da obra”, explica Juliano Cornacchia, sócio do PMKA, escritório responsável pelas operações.

O primeiro CRI conversível teve como beneficiário o Goiabeiras Shopping Center, de Cuiabá (MT), e como financiador o fundo imobiliário Brasil Shopping, do Credit Suisse Hedging–Griffo. A intermediação foi feita pela Gaia Securitizadora. O fundo tinha interesse em adquirir uma participação no shopping, porém o negócio esbarrava na área bruta locável (ABL) do empreendimento, que era inferior ao mínimo exigido pela política de investimento do fundo. A solução foi a estruturação de um CRI conversível lastreado no contrato de financiamento da construção. Assim, a aquisição da participação só ocorrerá no momento da conversão, quando o shopping já terá alcançado a área bruta locável exigida.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  CRI Instrução 476 Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Fundo imobiliário inova ao adotar poison pill
Próxima matéria
Anbima busca recursos públicos para garantir liquidez do NMRF



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Fundo imobiliário inova ao adotar poison pill
Está sob análise da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a primeira oferta de um fundo de investimento com poison pill....