Bolsa cria grupo para estimular listagem de empresas

Instituída em fevereiro, a Câmara Consultiva de Listagem começará a atuar este mês com o desafio de analisar as regras em vigor e trabalhar para futuros aperfeiçoamentos. O novo grupo se voltará à elaboração de um arcabouço atraente para as companhias interessadas em listar suas ações. Os esforços …

Bimestral/Relações com Investidores/Temas/Edição 91 / 1 de março de 2011
Por 


Instituída em fevereiro, a Câmara Consultiva de Listagem começará a atuar este mês com o desafio de analisar as regras em vigor e trabalhar para futuros aperfeiçoamentos. O novo grupo se voltará à elaboração de um arcabouço atraente para as companhias interessadas em listar suas ações.

Os esforços para alavancar o Bovespa Mais, segmento direcionado a empresas que pretendem acessar gradativamente o mercado de capitais, também ficarão sob os cuidados da Câmara de Listagem. “A ideia da bolsa é ter um grupo de trabalho analisando continuamente todos os segmentos”, diz o presidente da câmara, o advogado Luiz Leonardo Cantidiano. A câmara será constituída por representantes das principais entidades de classe do mercado e do meio acadêmico, companhias abertas, gestores de recursos e prestadores de serviços, como bancos e escritórios
de advocacia.

Ampliar o número de empresas listadas é um dos maiores desafios da BM&FBovespa para alcançar suas metas de expansão. Setores importantes da economia brasileira, como o de óleo e gás, infraestrutura, varejo, tecnologia da informação e farmacêutico ainda não estão devidamente representados no pregão. Atualmente, a Bolsa tem 379 companhias com ações listadas, o que lhe confere a 27ª posição no ranking mundial. O número passa ao largo da Índia, primeira colocada da lista, com 5.586 empresas cotadas. Em seguida, aparecem Estados Unidos (5.095), Canadá (3.741), Japão (3.566) e China (3.476).


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Bovespa Mais bolsa de valores Abertura de Capital/IPO Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
CVM exige mais cuidado com o Formulário de Referência
Próxima matéria
XP lança home broker para ativos de renda fixa



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
CVM exige mais cuidado com o Formulário de Referência
As companhias que se preparem. Diferentemente do ano passado, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) não será mais tão...