Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
Alguém precisa ensinar
Não podemos deixar que a deficiência de conhecimento em finanças seja passada de geração a geração

, Alguém precisa ensinar, Capital AbertoA alfabetização financeira é um elemento fundamental para o processo de preparação do jovem para a vida adulta. Durante o congresso sobre educação financeira da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), de que tive a honra de participar em dezembro de 2009, ficou evidente o interesse de diversos países do mundo em implementar programas de instrução financeira. O Brasil não foge à regra e, em abril, pretende colocar em prática o Projeto Educação Financeira na Escola, desenvolvido pelo governo federal em conjunto com agentes do setor privado. A ação faz parte da Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef).

Vale lembrar que o ensino de finanças se inclui num propósito maior: oferecer condições para que as futuras gerações vivam de forma sustentável em nossa sociedade. Devemos reconhecer que a instrução financeira é uma habilidade da vida, a ser transmitida pelo sistema escolar ou pelos pais. Porém, a carência de entendimento sobre finanças destes últimos gera, muitas vezes, uma espiral descendente, na qual a deficiência de conhecimento é passada de geração a geração. Logo, a absoluta relevância do papel das escolas.

Infelizmente, para que a instrução financeira nos colégios vá adiante, será preciso torná-la obrigatória. Atualmente, as escolas não adotam esse ensino voluntariamente, o que, dentre outros motivos, deve-se à falta de incentivo à aplicação de disciplinas complementares.

Assim, a maneira mais segura de garantir que esse conhecimento seja transmitido é sua inclusão mandatória no currículo escolar. Isso permitiria a democratização do ensino de finanças. O fato de a grade escolar estar lotada não deve ser motivo para preocupação. A educação financeira não precisa ser incluída à custa do ensino de outras disciplinas fundamentais. Conceitos sobre finanças podem ser apresentados aos estudantes em conjunto com outras matérias, como equações e progressões aritméticas, por exemplo.

Por ser uma iniciativa nova, obviamente corremos o risco de não termos professores devidamente preparados para lecionar finanças. No entanto, como esse é um assunto que instiga o aprendizado por ter uma aplicação prática, o treinamento de profissionais não será uma tarefa difícil de se alcançar. Os próprios professores, além dos alunos, seriam beneficiados com esse conhecimento. Poderiam administrar melhor seus gastos de forma a poupar e realizar decisões de investimento seguras. Uma certificação profissional para essa atividade também poderia ser estruturada, bem como uma política de bonificação que incentivasse a participação dos professores.
Por fim, acusar que livreiros, por ganância, seriam parte interessada nesse projeto é desmerecer uma relação madura que existe entre as editoras e o governo. Trata-se de uma visão simplista e tola, que não encontra eco num debate mais sério. Havendo a demanda, o País apresenta total capacidade para criar material didático de boa qualidade e capacitar os professores a usá-los.

Hoje, o Brasil apresenta produtos financeiros de qualidade, em um ambiente eficiente de regulação e autorregulação, além de profissionais preparados para oferecer produtos de investimentos. Todos são obrigados a ter uma certificação profissional, que visa a aprimorar a capacidade técnica desses agentes de realizar uma venda consciente. Nesse sentido, a educação dos nossos jovens, com o objetivo de formarmos uma geração capaz de tomar decisões sábias de investimento, seria a etapa final para concluirmos esse círculo virtuoso no mercado de capitais brasileiro.


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 9,90/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.