Ciclo vicioso instalado no mercado de dólar e juros

12/11/2014

Sem categoria / 12 de novembro de 2014
Por     /    Versão para impressão Versão para impressão


Alexandre Póvoa*/ Ilustração: Julia Padula

Nas próximas semanas o mercado poderá assistir, de acordo com a definição dos nomes da equipe econômica e da evolução do mercado internacional, a uma situação nova em relação às variáveis câmbio e juros.

Fase 1. Na semana passada, o governo anunciou o pior superávit primário mensal da história. Além disso, o Banco Central (BC) relatou a perda de R$ 18,8 bilhões com as operações de swap cambial, por conta da desvalorização do Real, o que pressionou muito o resultado nominal.

Fase 2. Adicionalmente, o Copom comunicou o início de um novo processo de aperto monetário (o que normalmente eleva o serviço da dívida, dado que as taxas longas não caíram), potencialmente pressionando ainda mais o resultado nominal para frente.

Fase 3. Qual é o link entre dólar e juros? A ata do Copom deixou subentendido que a decisão de elevar a taxa Selic tem, entre suas principais causas, a desvalorização cambial ocorrida nos últimos dois meses, quando o dólar havia saltado de R$ 2,25 para R$ 2,50.

É da natureza do mercado testar hipóteses, na seguinte lógica:

1. Se o governo está pressionado pelo resultado fiscal, a intervenção no câmbio via swap terá que ser reduzida?

2. Há uma tendência internacional de valorização do dólar, sobretudo após o anúncio de mais um grande quantitative easing no Japão. Se o BC resolver por uma intervenção menor, o real deverá acelerar seu processo de desvalorização.

3. Se isso ocorrer, a inflação, que já está rodando no limite da banda superior da meta, poderia ficar ainda mais pressionada. Dada a palavra escrita do próprio Copom, essa poderia ser a chave para acelerar a elevação da taxa Selic.

Estaria, então, instalado o ciclo vicioso:

2. Ciclo vicioso EDITADO

Como o governo e o BC tratarão o tema? Fazer o dever de casa corretamente é fundamental.

Eis o teste que o mercado começa a colocar em prática.


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 4,90 (nos 3 primeiros meses).
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui >

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Básica

R$ 4, 90*

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
-
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$36,00

Completa

R$ 9, 90

Nos três primeiros meses

01 Acesso Digital
01 Edição Impressa
10% de Desconto em grupos de discussão e workshops
10% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$42,00

Corporativa

R$ 14, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
15% de Desconto em grupos de discussão e workshops
15% de Desconto em cursos
Acervo Digital
sem áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$69,00

Clube de conhecimento

R$ 19, 90

Nos três primeiros meses

05 Acessos Digitais
01 Edição Impressa
20% de Desconto em grupos de discussão e workshops
20% de Desconto em cursos
Acervo Digital
com áudos**
A partir do 4° mês, o valor cobrado séra de R$89,00

**Áudios de todos os grupos de discussão e workshops.




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Banco Central CAPITAL ABERTO mercado de capitais inflação juros dólar BC superávit primário Copom aperto monetário ciclo vicioso swap cambial taxa Selic Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Sem complacência
Próxima matéria
Charge do mês - Edição 139



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





Leia também
Sem complacência
Na atual conjectura politica que o Brasil vive, clama-se por mecanismos capazes de aniquilar faltas graves de poderosos,...