Pesquisar
Close this search box.
Previsão de inflação no intervalo da meta e em queda pela quinta semana consecutiva
A mediana das estimativas do IPCA para 2023 caiu de 4,63% na semana passada para 4,59% nesta segunda-feira.
, Previsão de inflação no intervalo da meta e em queda pela quinta semana consecutiva, Capital Aberto

A mediana da previsão de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), dos analistas do mercado financeiro para 2023 caiu de 4,63% na semana passada para 4,59% nesta segunda-feira.

A previsão está no Boletim Focus, pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC) com a expectativa de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

É a quinta semana consecutiva em que a previsão da inflação para este ano fica dentro do intervalo da meta de inflação, que é de 3,25% com variação de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2024, a projeção da inflação segundo o Boletim Focus teve ligeira variação de 0,01 ponto percentual para cima, passando de 3,91% para 3,92%. É, porém, a terceira semana em que o índice apresenta alta.

Previsão de inflação

Para 2025 e 2026, as previsões são de 3,5% para os dois anos.  A meta de inflação para os próximos três anos é 3%, também com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Na semana passada, o IBGE divulgou o IPCA de outubro, que ficou em 0,24%, abaixo da previsão do mercado de 0,29%. No ano, o IPCA acumula alta de 3,75% e, nos últimos 12 meses, de 4,82%, abaixo dos 5,19% observados nos 12 meses imediatamente anteriores.

“O destaque do mês ficou para o comportamento benigno dos preços no setor de serviços”, diz Rachel de Sá, economista-chefe da Rico Investimentos.

“A inflação no setor de serviços é um dos fatores mais observados pelo Banco Central, porque os preços no setor tendem a ser mais difíceis de controlar uma vez disseminados pela economia”, explica Rachel.

Para o mercado financeiro, a Selic, taxa básica de juros da economia, deve encerrar 2023 em 11,75% ao ano, o que pressupõe uma redução de 0,5 ponto percentual na próxima reunião do Copom, em dezembro.

Para o final de 2024, o mercado estima a Selic em 9,25% ao ano.

A projeção das instituições financeiras para o crescimento da economia brasileira neste ano ficou em 2,89%, sem mudança em relação à estimativa anterior

Para 2024, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 1,5%.

Para 2025 e 2026, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,93% e 2%, respectivamente. 

A previsão para a cotação do dólar está em R$ 5 para o fim deste ano.

Para o fim de 2024, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5,08, alta de três centavos em comparação com a previsão da semana passada.

Leia mais:

IPCA comportado reforça otimismo do mercado sobre juros


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.