Pesquisar

|

|

Pesquisar
Close this search box.
Diversidade racial e étnica em conselhos entra para as políticas de voto da ISS
Consultoria de voto irá examinar essa questão nas empresas listadas no Russell 3000 e no S&P 1500
Diversidade racial em conselhos de administração

De forma inédita, ISS vai abordar em seus relatórios a falta de diversidade racial em conselhos de administração | Imagem: freepik

Recentemente, a Institutional Shareholder Services Inc. (ISS) anunciou as políticas globais de voto que vai adotar a partir de 1º de fevereiro de 2021. A revisão é feita anualmente para contemplar as mudanças de perspectiva e necessidades de seus investidores institucionais, assim como para atender novas práticas de governança corporativa. De forma inédita, a partir do próximo ano a consultoria vai abordar em seus relatórios a falta de diversidade racial em conselhos de administração.

A política, que se aplica a empresas listadas no Russell 3000 e no S&P 1500, vai ter um período de transição de um ano. Até 2022, a ISS vai destacar em seus relatórios os conselhos que carecem de diversidade racial e étnica “para ajudar os investidores a identificar empresas com as quais se engajar”, mas não tomará a informação como um fator decisivo para as recomendações de voto. Na América Latina, a consultoria também vai exigir um número mínimo mais elevado de conselheiras mulheres e conselheiros independentes.

Questão racial no centro de discussões internacionais

A inclusão da diversidade racial e de gênero nas políticas de voto da ISS não é apenas um reflexo do fortalecimento da perspectiva ESG observada nos últimos anos. Este ano de 2020 foi marcado pelo destaque global às questões raciais, com problemas locais graves comprovando o abismo ainda existente entre brancos e negros.

A morte de George Floyd nos Estados Unidos, com o consequente movimento Black Lives Matter e os protestos de milhares de pessoas em meio à pandemia, mostrou a essência do problema na maior economia do mundo. Recentemente, no Brasil, o assassinato de João Alberto Silveira Freitas numa unidade do Carrefour gerou resposta imediata da sociedade civil. São indícios de que atitudes discriminatórias têm sido a cada dia menos toleradas e isso não pode passar despercebido pelas empresas.

Segundo a ISS, a inclusão de políticas de voto relacionadas à questão da diversidade foi resultado de um extenso levantamento. “Investidores institucionais, empresas e outros agentes do mercado forneceram feedback sobre uma ampla gama de questões por meio da pesquisa anual da ISS e de várias mesas redondas e discussões virtuais sobre políticas”, disse Georgina Marshall, chefe global de pesquisa e presidente do conselho de política global da ISS. Ao todo, a consultoria recebeu 522 respostas à pesquisa online.

Outras mudanças que serão implementadas pela ISS estão relacionadas aos direitos de litígio de acionistas e à responsabilidade de administradores por falhas de governança em questões ambientais ou sociais.


Leia também

A empresa com propósito

Quantos negros tem no seu LinkedIn? 

A urgência de um novo modelo econômico


, Diversidade racial e étnica em conselhos entra para as políticas de voto da ISS, Capital Aberto


Para continuar lendo, cadastre-se!
E ganhe acesso gratuito
a 3 conteúdos mensalmente.


Ou assine a partir de R$ 34,40/mês!
Você terá acesso permanente
e ilimitado ao portal, além de descontos
especiais em cursos e webinars.


Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o limite de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês.

Faça agora uma assinatura e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais


Ja é assinante? Clique aqui

Acompanhe a newsletter

Leia também

mais
conteúdos

APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.