A caixa-preta das empresas de rating ESG

Falta de transparência em processos de avaliação e de coleta de dados preocupa reguladores globais



Apesar de sua crescente influência sobre as decisões de alocação de recursos mundo afora, as empresas que calculam ratings e avaliam dados corporativos relacionados ao recorte ESG (questões ambientais, sociais e de governança) em geral não estão sob regulamentação específica. Essa ausência de acompanhamento de reguladores tende a ameaçar a transparência dos métodos de análise das informações, além de representar uma cobertura desigual de setores e países e abrigar potenciais conflitos de interesses. Essa é a conclusão da Organização Internacional de Valores Mobiliários (Iosco, na sigla em inglês), que agrupa os reguladores de mercado de 129 jurisdições, incluindo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Interessada em mudar esse cenário, a entidade anunciou a abertura de uma audiência pública com o objetivo de abrir a caixa-preta das empresas de rating ESG, sugerindo uma supervisão formal de um setor que hoje ajuda a canalizar trilhões de dólares para ativos ESG-friendly. 

“A quantidade de investimentos ESG e de produtos financeiros relacionados à ideia de sustentabilidade tem aumentado significativamente nos últimos anos. Essa realidade acentua alguns desafios cruciais, como a preocupação com o greenwashing, a consistência e a comparabilidade das informações”, ressalta Ashley Alder, presidente do conselho da Iosco e CEO da Securities and Futures Commission de Hong Kong. “Esse relatório expõe a opinião da Iosco sobre as expectativas regulatórias e de supervisão necessárias para apoiar os gestores de recursos na abordagem desses desafios”, acrescenta. 

Recomendações da Iosco 

O documento observa que, no contexto global, gestores de fundos centrados em ESG usam os serviços de cerca de 160 empresas de rating para selecionar ações e títulos de dívidas. A Iosco manifesta receios acerca da proteção aos investidores, à medida que os gestores de recursos não costumam conduzir qualquer due diligence sobre as classificações e as bases de dados — algo que a organização acredita ser necessário mudar. 

“As agências de rating e de dados ESG poderiam considerar a possibilidade de fazer dos elevados níveis de divulgação pública e de transparência um objetivo, incluindo suas metodologias e processos”, diz o whitepaper divulgado pela Iosco. A organização também sugere que as empresas de rating ESG mantenham registros internos para apoiar suas classificações e ofereçam garantias de que as avaliações que apresentam são livres de conflitos de interesses e de pressões políticas ou econômicas. 

Ao recomendar que as comissões de valores mobiliários considerem regulamentar formalmente o setor, a Iosco faz eco a movimentos semelhantes relacionados às agências de rating de crédito após a crise financeira global de 2008. Naquele período, as agências suscitaram desconfiança por terem atribuído altas notas para ativos cuja consistência caiu por terra com a quebra sucessiva de bancos. 

Leia também

A visão dos reguladores sobre o gerenciamento de riscos ambientais

Gigantes do petróleo contra a parede

Regras de combate a greenwashing encolhem mercado de ativos ESG na Europa


Quer continuar lendo?

Faça um cadastro rápido e tenha acesso gratuito a três reportagens mensalmente.
Quero me cadastrar!

Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} matérias gratuitas por mês

Você atingiu o seu limite de {{limit_online}} matérias por mês. X

Ja é assinante? Entre aqui > 2

teste

ou

Aproveite e tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo sobre mercado de capitais!

Acessar loja >




Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Iosco ESG rating ESG Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
A remuneração dos agentes de investimento
Próxima matéria
Gigantes do petróleo contra a parede



Comentários

Escreva o seu comentário sobre este texto!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado para você





APROVEITE!

Adquira a Assinatura Superior por apenas R$ 0,90 no primeiro mês e tenha acesso ilimitado aos conteúdos no portal e no App.

Use o cupom 90centavos no carrinho.

A partir do 2º mês a parcela será de R$ 48,00.
Você pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento.

Leia também
A remuneração dos agentes de investimento
Agentes de distribuição encontro online A remuneração dos agentes de investimento Warren...