Fechamentos de capital programados para 2016 já superam os de 2015

Seletas / Bolsas e conjuntura / Edição 12 / Reportagem / 18 de dezembro de 2015
Por 


Ilustração: Grau 180.com.

Ilustração: Grau 180.com.

O fraco desempenho da bolsa de valores e a economia claudicante têm levado as empresas a abrir mão dos benefícios do mercado de capitais. Neste ano, sete companhias concluíram ofertas públicas (OPAs) para cancelamento de registro, segundo dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O maior símbolo do movimento foi a Souza Cruz, negociada no pregão desde 1946 e considerada uma das melhores pagadoras de dividendos. O câmbio pesou na decisão da controladora, a British American Tobacco. A desvalorização do real reduziu o custo da retirada dos papéis em circulação. Para 2016, o cenário é ainda pior. Já estão em análise oito OPAs de cancelamento de registro. E outras podem aparecer ao longo do ano.

Em períodos de turbulência, as companhias são obrigadas a enfrentar a oscilação do pregão sem, na maioria das vezes, encontrar boas brechas para captar recursos. “Em tempos de crise, a atividade de ‘polícia’ do regulador também é mais intensa; assim, a possibilidade de uma empresa sair da bolsa e realizar transações entre partes relacionadas com mais liberdade acaba motivando os fechamentos”, observa João Laudo Camargo, sócio do escritório Bocater, Camargo, Costa e Silva e coordenador do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) no Rio de Janeiro.

O alento é que nem todos os fechamentos de capital representam a saída completa da empresa dos holofotes do mercado. Uma análise de 227 cancelamentos de registro ocorridos entre 2001 e 2012 mostra que, em 34% dos casos, o acionista controlador manteve-se como companhia aberta. “Isso é bom, porque as informações sobre o negócio continuam disponíveis”, diz Camargo.

O levantamento faz parte do estudo “Fatores determinantes para o fechamento de capital das companhias listadas na BM&FBovespa”, de 2014. De acordo com Patricia Bortolon e Annor da Silva Junior, autores do trabalho, a estrutura de propriedade é determinante para a saída de empresas da bolsa: quanto maior a concentração de controle, mais fácil é aprovar o fechamento. A baixa liquidez das ações e a disponibilidade de caixa também são fatores decisivos.

OPAs para cancelamento de registro:

Fechamento_S12_Pt1

Ofertas registradas em 2015*:

Fechamento_S12_Pt2

Ofertas em análise*:

Fechamento_S12_Pt3

*Até 14 de dezembro. Fonte: CVM


Quer continuar lendo?

Você já leu {{limit_offline}} conteúdo(s). Gostaria de ler mais {{limit_online}} gratuitamente?
Faça um cadastro!

Tenha o melhor conteúdo do mercado de capitais sem limites ou interrupção.
Assine a partir de R$ 36/mês!
Você está lendo {{count_online}} de {{limit_online}} reportagens gratuitas

Seja um assinante!

Você atingiu o limite de reportagens gratuitas. Que tal se tornar nosso assinante? Além do acesso ao mais especializado conteúdo do mercado de capitais, você terá descontos de até 30% em nossos encontros e cursos. Aproveite!


Participe da Capital Aberto:  Assine Anuncie


Tags:  Fechamento de capital Encontrou algum erro? Envie um e-mail



Matéria anterior
Empresas com ADR: investidores brasileiros, tenham cautela!
Próxima matéria
Em boa hora




Recomendado para você




Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Leia também
Empresas com ADR: investidores brasileiros, tenham cautela!
A vedação da Lei das S.As. à criação de classes de ações ordinárias para as companhias abertas vai contemplar...